Melhores VPNs para Cuba em 2019 – Encontre as VPNs mais rápidas e baratas

No meio de outubro, os Estados Unidos retiraram seu embargo em Cuba, um embargo que durou quase 58 anos. As sanções impostas tornaram Cuba um dos países mais pobres do globo, bem como um dos países com acesso de Internet mais lento e limitado do mundo. O acesso à Internet era monitorado pelo estado, que tinha um controle firme sobre o que seus cidadãos podiam e não podiam pesquisar na rede mundial. Isso foi posteriormente impedido pelos Estados Unidos, que encorajaram as empresas e os provedores de Internet a decretar a filtragem reversa em Cuba como parte do embargo, tornando ainda mais difícil para os cidadãos terem acesso a alguns sites. Então, para quem viaja para Cuba, uma VPN é uma necessidade, pois um site que você usa frequentemente pode estar bloqueado no país. Também é boa ideia criptografar os seus dados, para que as autoridades não leiam os seus e-mails.

Em 2012, antes de as sanções serem parcialmente retiradas, apenas cerca de 5% dos cubanos conseguiam acessar a Web nas suas casas, embora o número de pessoas com acesso à Internet de alguma forma fosse de 25%. Adicione a isso o fato de que a Etecsa é a única provedora de Internet do país e é uma empresa estatal, você entenderá por que Cuba pode controlar tão facilmente o conteúdo do que as pessoas veem e leem. E, embora sites como Facebook e Twitter estejam disponíveis para os cubanos, os sites da oposição ainda estão bloqueados. Cuba monitora de perto o acesso de ativistas de direitos humanos à Internet e a outras formas de comunicação. Encontrar os ativistas cubanos de direitos humanos continua sendo uma tarefa complicada, especialmente quando o governo ainda continua prendendo as pessoas com base em seus pontos de vista políticos.

Os cubanos conseguiram encontrar várias maneiras de contornar as restrições do país, principalmente usando USB e VPN, bem como outros métodos que o resto do mundo nunca precisou para usar livremente a Internet. Aqueles que eram corajosos o suficiente para se oporem ao governo decidiram construir sua própria versão da Internet, chamada “rede de rua”. Esse sistema foi construído usando cabos de Ethernet e poderosas antenas Wi-Fi que abrangiam cidades inteiras. A maioria das pessoas usava esse tipo de Internet, Intranet, para conversar entre si e jogar videogame online.

É aí que a VPN, ou rede privada virtual, entra em jogo. Elas são a solução mais barata e flexível, não apenas para os cubanos, mas também para as pessoas de outros países terem acesso irrestrito à Internet. A maioria das VPNs é barata, mas algumas cobram mais pelo serviço e, por sua vez, oferecem recursos especiais que de outra forma não estariam disponíveis se você usasse apenas provedores de VPN gratuitos. No entanto, a partir de agora, ainda não há como saber totalmente se o serviço de VPN é filtrado, mas, como no caso da China, existem formas de ultrapassar esse tipo de filtragem.

Os provedores de VPN listados aqui estão todos disponíveis para serem usados ​​por cubanos para obter acesso completo à Internet, porque eles estão baseados internacionalmente em vez de se localizarem em Cuba, tornando a Internet finalmente irrestrita e privada.

Veja aqui uma lista dos principais provedores de VPN para Cuba:


A ExpressVPN é a VPN com melhor classificação para Cuba e para a maior parte do mundo. Seus servidores estão baseados em Miami, outros estão situados na Guatemala, Panamá, Costa Rica e Venezuela, o que a torna a melhor opção se você for um usuário convencional de VPN e procura o serviço perfeito. A ExpressVPN oferece um desempenho rápido para os usuários OSX e Windows, além de não manter registros de utilização. Os clientes também têm acesso a aplicativos iOS e Android que protegerão a conexão à Internet enquanto estiverem em movimento. Além de acesso seguro, eles também oferecem uma garantia de reembolso de 30 dias, por isso, há definitivamente uma ótima razão para experimentá-lo.

ExpressVPN pode desbloquear:

  • Netflix, Hulu, HBO, Amazon Prime Video, Showtime, Sling TV, DAZN e BBC iPlayer.

Suporta baixar e enviar torrents:

  • Sim, todos os servidores oferecem suporte a atividades P2P.

ExpressVPN funciona nestes dispositivos:

  • Windows, macOS, Android, iOS, Android TV, Linux, Chrome e Firefox. Ele também disponibiliza um app para uso em roteadores específicos.

Com uma classificação notável próxima ao topo, a NordVPN se estabeleceu como um dos principais provedores de VPN, especialmente no que diz respeito ao que a empresa oferece e a que preço. Eles oferecem um serviço que possivelmente tem a segurança mais rigorosa no mercado, e uma criptografia SSL de 2048 bits certamente fará com que os usuários de Wi-Fi fiquem cada vez mais protegidos e seguros. Seu suporte ao cliente costumava ser a maior fraqueza da empresa, mas agora os clientes podem encontrar orientação em inglês clicando no botão “Ajuda”, e há chat ao vivo disponível 24 horas por dia. Os clientes também têm acesso a uma extensa seção de FAQ e outros artigos que dão respostas a muitas questões críticas. O streaming de vídeo e a navegação se tornam uma corrida interestelar com o desempenho de alta velocidade que a NordVPN oferece. Se você quiser acessar sites como a Netflix dos EUA ou serviços similares, este provedor de VPN fará isso facilmente.

Embora eles não tenham um servidor em Cuba, os seus serviços estão facilmente disponíveis lá. Seus servidores, no entanto, estão situados em alguns dos países dos “Cinco Olhos”, principalmente os Estados Unidos. No entanto, a Nord VPN não possui esses servidores, mas os aluga de terceiros, o que torna cada vez mais seguro usar seus serviços.

NordVPN pode desbloquear:

  • Netflix, HBO, Hulu, Showtime, BBC iPlayer, Amazon Prime Video e Sling TV.

Suporta baixar e enviar torrents:

  • Sim, servidores especializados para P2P disponíveis.

NordVPN funciona nestes dispositivos:

  • Windows, macOS, Android, iOS, Android TV, Linux, Chrome e Firefox. Ele também é compatível com roteadores.

Conclusões
Há agora muitas formas para os cubanos desfrutarem da Internet, com a retirada das sanções, tornando-se mais disponível para o mundo e vice-versa. No entanto, para aproveitar e apreciar plenamente o que a Internet oferece, algumas pessoas precisam recorrer às VPNs para conseguir o que estão procurando. E embora algumas empresas cobrem preços razoáveis, os cubanos continuam optando por usar soluções gratuitas. Isso não é porque os cubanos são avarentos ou querem as coisas de graça, mas porque eles não têm como pagar pelos serviços online. Por isso, o problema não está em pagamento, mas no método de pagamento. Além disso, mesmo que os cubanos possuam cartões de crédito internacionais, o governo dos Estados Unidos os restringirá ou os bloqueará, tornando as coisas ainda mais complicadas.

Isto foi útil? Compartilhe.
Espere! A Nord oferece 70% de desconto em suas VPNs.