Aviso legal:
Comissões de afiliados

Embora o vpnMentor possa receber comissões quando uma aquisição é feita através de nossos links, elas não influenciam o conteúdo das avaliações ou os produtos/serviços avaliados. Fornecemos links diretos para a aquisição de produtos que fazem parte de programas de afiliados.

• Propriedade

O vpnMentor é de propriedade da Kape Technologies PLC, que detém os seguintes produtos: CyberGhost, ZenMate, Private Internet Access e Intego, os quais podem ser avaliados neste site.

• Avaliações profissionais

vpnMentor contém avaliações escritas por nossa comunidade de avaliadores, as quais são baseadas na análise independente e profissional dos produtos/serviços por parte de cada avaliador.

• Diretrizes de avaliação

As avaliações publicadas no vpnMentor são escritas por especialistas que analisam os produtos de acordo com nossos rígidos padrões de avaliação. Esses padrões garantem que cada avaliação seja baseada no exame independente, profissional e honesto do avaliador, levando-se em consideração as capacidades técnicas e qualidades do produto juntamente com seu valor comercial para os usuários, o que também pode afetar a classificação do produto no site.

8 melhores VPNS REALMENTE GRÁTIS para Linux (2021)

Adora a velocidade e a privacidade do Linux? Estas VPNs adicionam o mesmo desempenho de alta velocidade e segurança a todas as suas atividades na internet, sem custar uma fortuna para você.

Testei 45 VPNs grátis para Linux, e descobri que a maioria delas não funciona tão bem quanto afirmam. Elas incluíam pegadinhas irritantes, baixas velocidades e servidores congestionados. Algumas até mesmo expuseram minha segurança.

No entanto, consegui encontrar oito VPNs para países de língua portuguesa que são suficientemente seguras e rápidas para usar com o Linux. Como são grátis, elas têm algumas limitações, mas são as melhores VPNs grátis disponíveis. Se você deseja uma VPN sem restrições, recomendo optar por um provedor premium de baixo custo como o ExpressVPN.

Experimente o ExpressVPN sem riscos hoje!

Melhores VPNs grátis para Linux para países de língua portuguesa – guia rápido

  1. ExpressVPN: obtenha ótima compatibilidade com o Linux e velocidades ultrarrápidas. É possível até mesmo testá-lo por conta própria, e, se não ficar satisfeito, você tem até 30 dias para solicitar seu reembolso.
  2. Windscribe: aproveite ao máximo as excelentes velocidades de servidores com um limite mensal de 10 GB de dados grátis.
  3. ProtonVPN: sem limites de dados, sem anúncios e garantia antilogs, com a opção de upgrade premium grátis por 7 dias.
  4. hide.me: servidores em três localizações com um razoável limite de dados grátis de 2 GB por mês.
  5. TunnelBear: excelente criptografia, mas limite de dados gratuitos de 500 MB por mês.

E mais três VPNs grátis para Linux | Como classificamos e testamos estas VPNs | Qual é a pegadinha com as VPNs grátis?

Obtenha o ExpressVPN para Linux sem riscos hoje!

As melhores VPNs grátis para Linux (Atualizado em 2021)

Seja qual for sua distribuição do Linux, você precisa de uma VPN que seja capaz de oferecer instalação simples, segurança robusta e, acima de tudo, altas velocidades. Testei cuidadosamente 43 opções para lhe trazer o que há de melhor no mercado, para que você possa usar a internet com segurança em qualquer lugar.

1. ExpressVPN — cliente nativo de Linux para uma configuração rápida e fácil

  • Velocidades ultrarrápidas para fazer streaming, navegar e baixar arquivos
  • 3.000 servidores em 90 países
  • Guias simples de seguir para distribuições do Linux
  • Garantia de reembolso de 30 dias
  • Rigorosa política antilogs (no-logs policy) protege seus dados
  • 5 conexões simultâneas de dispositivos
  • Funciona no: Netflix, Disney+, Amazon Prime Video, Hulu, BBC iPlayer, Vudu e mais
  • Compatível com: Windows, Mac, iOS, Android, Linux, roteadores, Apple TV e mais

Oferta mais recente do ExpressVPN Abril 2021: ganhe 3 meses totalmente grátis em sua assinatura anual com esta oferta! Não sabemos quando ela se encerrará, portanto, é melhor conferir a página de ofertas para ver se ela ainda está disponível.

O ExpressVPN é um serviço premium, mas eu o incluí entre minhas principais escolhas para Linux por causa de sua garantia de reembolso de 30 dias. Você pode experimentá-lo e obter um reembolso, caso não fique satisfeito.

O que diferencia o ExpressVPN de muitas opções grátis são seus recursos de ponta que permitem navegar na web, transmitir suas séries favoritas e baixar conteúdo de forma segura e anônima.

A versão do ExpressVPN para Linux não é diferente da versão para Windows/macOS, por isso, você poderá acessar3.000 servidores em 90 países. A disponibilidade de tantos servidores ajudará você a desbloquear sites e plataformas restritos geograficamente em todo o mundo.

Para analisar o desempenho do provedor para fins de streaming, testei algumas dezenas de servidores globais. Consegui desbloquear as bibliotecas da Netflix nos EUA, Reino Unido, Japão e várias outras. Desbloquear o Amazon Prime Video, Hulu e todas as outras plataformas que uso regularmente foi igualmente fácil. Você poderá acessar conteúdo restrito geograficamente sem problemas.

Ele ainda oferece velocidades ultrarrápidas. Registrei uma velocidade média de 61 Mbps em todos os servidores que testei. Você só precisa de 5 Mbps para transmitir em HD, portanto, assisti a vídeos e esportes ao vivo sem nenhum lag. Isso também permitiu que minhas velocidades de download permanecessem consistentes, embora eu estivesse conectado a uma VPN. As altas velocidades do ExpressVPN garantem que você consiga navegar, transmitir e baixar de forma segura e sem lentidões.

Baixar e enviar torrents é muito mais seguro quando você está conectado ao ExpressVPN. Além disso, sua política antilogs (no-logs policy) garante que seus dados confidenciais jamais sejam registrados ou compartilhados com terceiros. Você pode permanecer totalmente anônimo e fazer seus downloads sem colocar sua identidade em risco.

A instalação é simples através dos guias intuitivos do ExpressVPN. Ele é compatível com Ubuntu, Debian, Fedora, Arch, CentOS e Raspberry Pi. Você também pode configurá-lo manualmente ou usá-lo em seu navegador por meio de extensões para Firefox e Chrome. O suporte 24/7 está sempre disponível para ajudar a responder a quaisquer possíveis dúvidas.

Para saber mais sobre os inúmeros recursos do ExpressVPN, confira nossa avaliação completa. Você também pode testar o serviço durante 30 dias e solicitar um reembolso, caso não fique satisfeito.

Experimente o ExpressVPN sem riscos hoje!

2. Windscribe — 10 GB de dados grátis e suporte a P2P no Linux

Small assortment of technological devices compatible with Windscribe.
  • Limite mensal de 10 GB de dados
  • Conexões com dispositivos ilimitados
  • Acesso a 60 localizações de servidores
  • Não registra sessões ou carimbos de data/hora de IPs
  • Funciona no: Netflix, Amazon Prime Video, Hulu, BBC iPlayer e Kodi
  • Compatível com: Linux, Windows, macOS, iOS, Android, navegadores e roteadores

O Windscribe é disponibilizado em formato de linha de comando grátis que permite navegar de forma privada nas seguintes distribuições do Linux:

  • Ubuntu
  • Fedora
  • Debian
  • CentOS

Embora o Windscribe para Linux possa não rodar tão suave quanto os apps para Windows e Mac, ele ainda oferece um guia de configuração dedicado para o Ubuntu em seu site. E também oferece suporte a IKEv2 e OpenVPN, portanto, você não deverá enfrentar nenhum problema de usabilidade.

O Windscribe oferece um dos maiores limites de dados grátis do mercado: 10 GB por mês. Porém, considerando-se que transmissões em HD podem consumir até 3 GB por hora, você poderá descobrir que seus dados se esgotarão após alguns episódios da sua série favorita.

O maior problema com a versão grátis do Windscribe são suas restrições de streaming. Nos meus testes, não consegui desbloquear a Netflix ou o BBC iPlayer, embora tenha conseguido acessar ambos no plano premium.

Ele é melhor para baixar e enviar torrents, no entanto. O plano grátis oferece acesso a servidores em 60 localizações, além de suporte completo a compartilhamento via P2P. Apesar disso, se você for compartilhar arquivos grandes, esse limite de 10 GB poderá atrapalhá-lo.

Na questão da segurança, o Windscribe tem o que você precisa. A criptografia AES de 256 bits mantém seus dados distantes de quaisquer olhares curiosos. Além disso, uma rigorosa política antilogs (no-logs policy) e malware blocker integrado protegem você contra trackers e hackers.

O Windscribe conta com uma variedade de planos pagos para atender ao seu orçamento, mas você pode se cadastrar hoje e desfrutar 10 GB gratuitamente. Consulte a avaliação completa para conferir seu desempenho em nossos testes.

Obtenha o Windscribe grátis!

3. ProtonVPN — guias intuitivos facilitam a configuração do Linux

Small assortment of technological devices compatible with ProtonVPN.
  • Sem limites de dados, mas velocidades menores
  • Localizações de servidores em apenas três países
  • Permite apenas uma conexão por vez
  • Recursos de segurança robustos, incluindo uma política antilogs (no-logs policy)
  • Upgrade com 7 dias grátis para o plano premium
  • Funciona com: Netflix, Hulu e Amazon Prime Video, mas fazer streaming não é uma opção no plano grátis
  • Compatível com: Linux, Windows, macOS, iOS, Android e alguns roteadores

O Proton é uma daquelas VPNs raras em que a compatibilidade com o Linux não parece ser apenas uma consequência.

Você deverá usar seu pacote OpenVPN com os arquivos de configuração apropriados para configurar sua conexão. Porém, o site do ProtonVPN disponibiliza guias úteis para orientar você, particularmente para distribuições Ubuntu.

Seja como for, o ProtonVPN resolveu os vazamentos de DNS que eram comuns em seu pacote de Linux, para oferecer aos usuários uma experiência geral melhor. Apesar disso, não se surpreenda se suas velocidades caírem, pois o plano grátis limita as velocidades de conexão.

Você obterá acesso a servidores em três países para contornar bloqueios geográficos, mas note que nenhum dos servidores permite baixar e enviar torrents. O compartilhamento via P2P está disponível em todos os planos premium do ProtonVPN, no entanto.

Fazer transmissões no plano grátis também é complicado. Embora o ProtonVPN ofereça uso de dados ilimitados, seus servidores dedicados para Netflix estão disponíveis apenas para clientes Proton Plus. No entanto, ele é uma ótima opção para acessar outros materiais restritos geograficamente ou censurados, como artigos, músicas e vídeos.

Aconselho você a aproveitar o upgrade com 7 dias grátis para testar os recursos premium do ProtonVPN. Para isso, basta cadastrar uma conta grátis e seguir as instruções. Na primeira vez em que se conectar a um servidor do ProtonVPN, você receberá sete dias de acesso a um plano premium para desfrutar transmissões seguras, suporte a P2P e excelentes velocidades.

Quer faça o upgrade ou não, você ainda assim se beneficiará da criptografia AES de 256 bits e da prevenção contra vazamento de DNS, para que seus dados e hábitos de navegação permaneçam seguros em países de língua portuguesa. Apesar disso, você deverá assinar um plano pago para acessar o exclusivo recurso Secure Core do ProtonVPN. Ele automaticamente transmite seu tráfego através de um país sem restrições, para garantir ainda mais privacidade a você.

Quer saber mais? Confira nossa avaliação detalhada do ProtonVPN ou cadastre-se hoje mesmo para adquirir seu pacote grátis.

Obtenha o ProtonVPN grátis!

4. hide.me — segurança de ponta para proteger seu dispositivo Linux

Small assortment of technological devices compatible with hide.me.
  • 2 GB de dados grátis por mês
  • Suporte a IKEv2 e Ubuntu
  • Largura de banda ilimitada
  • Proteção contra vazamento de IP (IP leak protection)
  • Sem anúncios ou pop-ups
  • Garantia de reembolso de 30 dias
  • Funciona no: BBC iPlayer, Amazon Prime Video, Sling TV, Showtime, Crackle, HBO GO, Kodi e Sky Go
  • Compatível com: Linux, Windows, macOS, iOS, Android, Chrome, Firefox, Windows Phone e alguns roteadores

Se você busca uma VPN grátis que não compromete sua segurança, o hide.me é sua melhor aposta. Seus dados permanecem seguros graças à criptografia AES de 256 bits, proteção contra vazamento de IP (IP leak protection), kill switch automático e política antilogs (no-logs policy).

Enquanto muitas VPNs grátis financiam seus planos freemium com anúncios, o hide.me não faz isso. Seu design fácil de usar é ótimo para usuários do Linux em qualquer dispositivo.

Até aqui, tudo certo, não? A má notícia é que o plano grátis do hide.me contém algumas restrições graves.

Você somente obtém acesso a servidores em cinco localizações globais. Isso torna incrivelmente difícil para baixar e enviar torrents. Além disso, você fica limitado a 2 GB de transferência de dados por mês. Essa quantidade é suficiente para quatro horas de transmissão de música, mas não é adequada para uso diário.

O plano premium oferece muito mais possibilidades. Você obterá acesso a 1.700 servidores em 75 localizações em todo o mundo sem limites sobre o uso de dados. Enquanto o plano grátis permite apenas uma conexão, o plano premium do hide.me possibilita até 10 dispositivos simultaneamente.

O hide.me ainda disponibiliza um prático guia de configuração para usuários do Linux (Ubuntu). Infelizmente, o programa de VPN integrado do Ubuntu somente oferece suporte ao agora obsoleto PPTP (Point-to-Point Tunneling Protocol), que possui alguns grandes problemas de segurança.

Então, para manter sua navegação segura em países de língua portuguesa, o hide.me recomenda usar o OpenVPN ou o IPSec IKEv2. Dessa forma, alguma configuração manual poderá ser necessária.

Saiba mais sobre as capacidades do hide.me de contornar bloqueios geográficos em nossa avaliação completa, ou baixe o serviço grátis hoje. Se você ficou intrigado com o plano premium, experimente-o através de uma garantia de reembolso de 30 dias sem riscos.

Obtenha o hide.me grátis!

5. TunnelBear — altas velocidades para Ubuntu e Fedora

Small assortment of technological devices compatible with TunnelBear.
  • Limite mensal de 500 MB de dados
  • Servidores em 25 países
  • Criptografia AES de 256 bits
  • Compatível com Linux, mas suporte de configuração limitado
  • Funciona no: HBO Go; durante meus testes, não consegui desbloquear a Netflix EUA, o Hulu ou o BBC iPlayer
  • Compatível com: Linux, Windows, macOS, iOS, Android, Chrome, Firefox e Opera

Não deixe o urso fofinho enganar você. O TunnelBear é poderoso. Porém, sua conta grátis tem alguns grandes obstáculos. O maior problema é o baixo limite mensal de 500 MB de dados. Isso é quase insuficiente para um episódio de meia hora da sua série favorita.

Durante meus testes, não consegui me conectar à Netflix EUA, Hulu ou BBC iPlayer, mas outros usuários conseguiram ocasionalmente desbloquear esses sites. Infelizmente, o recurso do TunnelBear especializado para restrições geográficas está disponível apenas para usuários do Windows, Mac e Android.

O TunnelBear não é otimizado para Linux. Seus protocolos básicos são suportados no desktop padrão do Ubuntu e no Fedora Workstation. Porém, usuários do Linux que usam Gentoo, Slackware e Mint ficarão decepcionados aqui.

Apesar disso, o TunnelBear oferece um guia de instalação passo a passo para seus pacotes de Linux, incluindo todos os comandos necessários. Você deverá possuir uma conta ativa antes de tentar instalá-lo, entretanto.

Porém, vamos voltar à parte boa.

O TunnelBear oferece alguns ótimos recursos de segurança, incluindo criptografia AES de 256 bits, Vigilant Mode (que bloqueia malware) e uma política antilogs (no-logs policy). Diferentemente de algumas VPNs grátis, seus dados estarão seguros aqui. Você também desfrutará acesso a servidores de alta velocidade em 25 países ao redor do mundo para contornar restrições geográficas.

Suas velocidades também são decentes. O premiado desempenho do TunnelBear deverá permitir que você assista a vídeos em alta definição sem buffering. No entanto, o limite de 500 MB de dados é um empecilho real.

Saiba mais sobre as velocidades de download do TunnelBear em nossa avaliação completa ou assine um plano grátis hoje mesmo.

Obtenha o TunnelBear grátis!

6. Private Tunnel — dados ilimitados e proteção contra DDoS para jogos

Shows a small assortment of devices that work with PrivateTunnel V{N
  • Versão de avaliação grátis de 7 dias
  • Servidores em 22 países
  • Suporte 24/7
  • Sem limites de dados
  • Guia de configuração passo a passo para Linux
  • Funciona no: alguns serviços restritos geograficamente, mas não na Netflix, Hulu ou BBC iPlayer
  • Compatível com: Linux, Windows, macOS, iOS, Android

O Private Tunnel é uma das minhas VPNs grátis favoritas para o Linux em países de língua portuguesa. Sua versão de avaliação grátis de 7 dias permite acessar todos os recursos sem gastar um centavo. Porém, se você busca uma VPN grátis para o longo prazo, deverá procurar uma alternativa ou considerar um plano premium, pois o Private Tunnel não oferece um serviço grátis contínuo.

A configuração do Linux é simples. O Private Tunnel conta com um prático guia passo a passo para instalar o serviço através do seu terminal. Além disso, o Private Tunnel possui suporte 24/7 disponível para quaisquer problemas de instalação.

Após instalado, você obterá acesso a servidores seguros em 22 localizações. Meus testes apresentaram boas velocidades de download com buffering mínimo para conteúdo de vídeo. Os dados ilimitados também são um grande complemento. Apesar disso, não consegui desbloquear sites de streaming como Netflix, Hulu e BBC iPlayer.

Segurança não é um problema aqui. A criptografia AES-GCM de 128 bits e a proteção adicional contra ataques de DDoS mantêm sua navegação privada. No entanto, o Private Tunnel registra alguns logs para monitorar o desempenho e a manutenção. Isso pode ser problemático, pois esses dados podem cair em mãos erradas, no caso de hacking ou violação de dados.

Saiba mais sobre a criptografia robusta do Private Tunnel em nossa avaliação completa ou comece sua versão de avaliação grátis de 7 dias agora mesmo.

Obtenha o Private Tunnel grátis!

7. VPNBook — desbloqueio poderoso para streaming no Linux

Small assortment of technological devices compatible with VPNbook.
  • 11 servidores em 6 países
  • Dados ilimitados, mas anúncios periódicos
  • Ótimo para desbloquear a Netflix EUA
  • Configurações dedicadas para Linux
  • Funciona no: Netflix, Hulu e Amazon Prime Video
  • Compatível com: Linux, Windows, macOS, iOS e Android

Cliente OpenVPN gratuito, o VPNBook funciona de forma brilhante no Linux. Ele até mesmo oferece um guia passo a passo para instalar seu perfil OpenVPN no Ubuntu. Com excelente suporte, incluindo contatos no Facebook e Twitter, sempre há alguém disponível para ajudar você com quaisquer problemas de instalação.

O serviço grátis do VPNBook não custa um centavo, mas você deverá aguentar anúncios e pop-ups periódicos no app. Para desfrutar seu desempenho notável, esse parece ser um preço pequeno a se pagar.

Nos meus testes, consegui acessar conteúdos restritos na Netflix EUA, Hulu e Amazon Prime Video. No entanto, as velocidades de download foram um problema. O serviço grátis do VPNBook oferece apenas seis servidores em cinco países – portanto, não espere as mesmas velocidades de um provedor premium.

A segurança é minha maior preocupação. O VPNBook usa criptografia AES com chave de 128 bits, em vez do mais seguro 256 bits. Ele também registra logs de conexão, incluindo endereços IP e carimbos de data/hora, durante uma semana – por isso, não posso dizer que sua privacidade está garantida.

Ainda assim, o VPNBook é um ótimo serviço grátis. Confira a avaliação completa para ver por que ficamos tão impressionados. Ou baixe seu pacote OpenVPN e comece a navegar sem limites.

Obtenha o VPNBook grátis!

8. Speedify — ligação de canal para conexões mais rápidas no Linux

Small assortment of technological devices compatible with Speedify.
  • Alternativa de ligação de canal às VPNs premium
  • Desfrute 2 GB de dados grátis por mês sem cadastro
  • Acesso a mais de 430 servidores
  • Política antilogs (no-logs policy) para privacidade aprimorada
  • Funciona no: YouTube somente nos EUA e BBC iPlayer
  • Compatível com: Linux, Windows, macOS, iOS e Android

O Speedify é algo um pouco diferente. Trata-se de um serviço de ligação de canal que combina conexões como Wi-Fi, ethernet e smartphones com tethering em uma única conexão rápida e segura. Porém, ele ainda realiza muitas das mesmas tarefas de uma VPN tradicional.

Seus planos grátis oferecem criptografia AES 128-GCM e política antilogs (no-logs policy), portanto, seus dados estarão seguros. Nos meus testes, obtive boas velocidades de download, principalmente nos EUA. E, para um serviço grátis, o Speedify oferece uma boa variedade de servidores, com 430 servidores em 50 localizações globais.

A melhor notícia é que ele é altamente compatível com Linux. Ele oferece suporte para distribuições do Linux baseadas em Debian em ARM e Intel, incluindo Ubuntu e Raspbian para o Raspberry Pi.

A má notícia é que o limite mensal de 2 GB de dados do Speedify restringe você a algumas horas de streaming. Além disso, não consegui acessar a Netflix EUA, mas pude assistir a conteúdos restritos do YouTube e ao BBC iPlayer.

O Speedify disponibiliza vários planos pagos para atender ao seu orçamento, mas sua versão grátis oferece todos os recursos dos pacotes premium, somente com um limite de dados. Para saber mais sobre a tecnologia de ligação de canal do Speedify, confira nossa avaliação detalhada.

Obtenha o Speedify grátis!

Como classificamos e testamos essas VPNs

Testei cada uma dessas VPNs em dois dispositivos: um notebook com Mint, e um desktop com Ubuntu.

Comparei seus recursos de segurança, velocidades e capacidade de fazer streaming e baixar e enviar torrents.

Segurança

Recomendo apenas VPNs que usam criptografia de 128 bits ou superior. 256 bits são ideais, mas 128 bits são suficientes para proteger você enquanto navega, transmite ou baixa e envia torrents. Consultei a política de privacidade de cada VPN para verificar a criptografia utilizada e confirmar se elas não registram quaisquer logs.

Em seguida, executei um teste de vazamento de DNS/IPv6 em cada VPN para garantir que elas ocultaram meu IP e transmitiram minha solicitações de DNS corretamente. Ainda examinei todos os outros recursos de segurança oferecidos, como kill switches automáticos. Dei preferência a serviços mais versáteis que oferecem proteção contra vazamento e malware blockers.

Velocidade

Realizei testes de velocidade para cada VPN em vários servidores diferentes durante horários de pico e fora deles. Recomendei apenas VPNs que são suficientemente rápidas para baixar e enviar torrents e transmitir em alta definição.

Streaming

Avaliei cada serviço para ver quais sites de streaming eles conseguiam desbloquear. Testei sua compatibilidade com a Netflix EUA, Hulu, BBC iPlayer e HBO GO. Além disso, testei se eles eram capazes de desbloquear vídeos internacionais do YouTube e complementos do Kodi. Ainda incluí uma lista de serviços de streaming compatíveis juntamente com cada avaliação.

Torrents

Usei os resultados dos meus testes de segurança para determinar se cada VPN é suficientemente segura para baixar e enviar torrents. Falei com o serviço de atendimento para confirmar o suporte a P2P nas versões grátis antes de usá-las para compartilhar fotos e vídeos caseiros com meus familiares via P2P.

Qual é a pegadinha com as VPNs grátis em países de língua portuguesa?

Os serviços que recomendo são seguros, mas muitas VPNs grátis oferecem sérios riscos de segurança. Esses provedores usam um nível de criptografia menor do que suas contrapartes premium – por isso, seus dados são mais fáceis de ser roubados. Eles normalmente deixam de fora os recursos básicos de segurança, como kill switches, proteção contra vazamentos e bloqueio de WebRTC.

O problema mais comum que encontrei durante meus testes foi que a maioria das VPNs grátis limita seus dados, velocidade e largura de banda. Elas tornam o serviço grátis frustrante de usar, para que você talvez faça o upgrade para um plano premium. Certifiquei-me de que todas as VPNs que recomendo são suficientemente rápidas para usar sem qualquer buffering.

Adicionalmente, a maioria das VPNs grátis é compatível apenas com Windows e macOS. Elas não são configuradas para distribuições do Linux. A ajuda de configuração está disponível mais prontamente para Ubuntu, mas VPNs grátis para outras distribuições, como Mint, Fedora e OpenSUSE, são muito mais difíceis

Você encontrará um suporte melhor para o Linux e todas as outras plataformas quando escolher uma VPN premium.

FAQs

? É difícil instalar uma VPN no Linux?

Existem várias formas simples de instalar uma VPN em seu dispositivo Linux.

É mais fácil usar o OpenVPN, mas a maioria dos provedores oferece seus próprios repositórios através dos guias de instalação do Linux em seus sites. Então, você deverá simplesmente instalar o repositório através do terminal.

Certifiquei-me de que cada uma das VPN recomendadas disponibiliza um guia de instalação para Linux completo e fácil de entender.

? Uma VPN deixará minha conexão mais lenta em países de língua portuguesa?

As VPNs atuam como intermediárias entre seu dispositivo e o site que você está tentando acessar. Redirecionar seu tráfego através de um servidor VPN causa, em média, uma redução de 5% em sua velocidade de conexão.

Caso sua conexão seja de aproximadamente 90 Mbps, uma VPN poderá reduzi-la para 85,5 Mbps, uma perda imperceptível.

Se seu provedor de internet estiver sobrecarregado ou limitando sua linha, sua velocidade provavelmente aumentará, pois seu tráfego contornará sua rede local e utilizará a rede da VPN, mais veloz.

? O que é OpenVPN para Linux?

Algumas das VPNs que recomendo oferecem instruções de configuração para OpenVPN.

OpenVPN é um app de VPN de código aberto para o Linux. Se compatível, seu provedor oferecerá um pacote OpenVPN personalizado que você pode usar para instalar sua VPN. Leia mais sobre como usar o OpenVPN no Linux aqui.

Conclusão

Não se engane pelo preço tentador. As VPNs grátis para o Linux podem fazer você pagar de outras formas através de vazamentos de dados, baixas velocidades e malware nocivo.

Usando uma VPN grátis em países de língua portuguesa, você poderá deixar seu dispositivo Linux sob o risco de hackers, scammers e ataques man-in-the-middle. Como muitas VPNs priorizam outros sistemas operacionais, encontrar uma solução quando tudo dá errado pode ser muito mais difícil. Portanto, para manter seu dispositivo o mais eficiente possível, escolha uma VPN que possua perfis dedicados para Linux e velocidades ultrarrápidas. Diversos provedores, incluindo o ExpressVPN, oferecem garantias de reembolso ou versões de avaliação grátis que permitem que você aproveite todos os recursos sem riscos.

Se você está inclinado a um serviço premium, consulte nosso guia prático sobre as melhores VPNs para o Linux. E, para receber as últimas ofertas e descontos, acesse nossa página de cupons.

Principais VPNs para Linux que você pode experimentar sem riscos com garantias de reembolso…

Alerta de privacidade!

Seus dados estão sendo expostos aos sites que você visita!

Seu endereço IP:

Sua localização:

Seu provedor de Internet:

As informações acima podem ser usadas para rastreá-lo, direcionar anúncios para você e monitorar o que você faz online.

As VPNs podem ajudá-lo a ocultar essas informações dos sites para que você esteja protegido o tempo todo. Recomendamos a ExpressVPN — a VPN nº 1 entre mais de 350 provedores que testamos. Ela possui criptografia de nível militar e recursos de privacidade que vão garantir sua segurança digital, e mais — ela está oferecendo atualmente 49% de desconto.

Visite a ExpressVPN

Isto foi útil? Compartilhe.
Gostou desse artigo? Avalie!
Eu detestei Eu não gostei Achei razoável Muito bom! Eu adorei!
Votado por usuários
Obrigado pelo seu feedback.
Comentar O comentário deve ter de 5 a 2.500 caracteres.
OFERTA EXCLUSIVA
Ganhe 3 meses grátis
da nossa VPN #1
OFERTA LIMITADA

00

Dias

00

Horas

00

Minutos

00

Segundos
Obter ExpressVPN
Garantia de reembolso de 30 dias
Image Alt Text - Vendor Logo expressvpn - devices