Os anúncios exibidos neste site são de empresas a partir das quais este site é remunerado. Leia a Declaração de Publicidade para mais informações.
Aviso legal:
Avaliações profissionais

vpnMentor contém avaliações escritas por nossa comunidade de avaliadores, as quais são baseadas na análise independente e profissional dos produtos/serviços por parte de cada avaliador.

Propriedade

O vpnMentor é de propriedade da Kape Technologies PLC, que detém os seguintes produtos: ExpressVPN, CyberGhost, ZenMate, Private Internet Access e Intego, os quais podem ser avaliados neste site.

Comissões de afiliados Publicidade

vpnMentor contém análises que foram escritas por nossos especialistas e seguem rígidos padrões de revisão, incluindo padrões éticos, que adotamos. Esses padrões exigem que cada análise seja baseada em uma inspeção independente, honesta e profissional do revisor. Dito isto, podemos ganhar uma comissão quando um usuário conclui uma ação usando nossos links. Isso, no entanto, não afetará a avaliação, mas poderá afetar as classificações. As classificações são determinadas com base na satisfação do cliente de vendas anteriores e da compensação recebida.

Diretrizes de avaliações

As avaliações publicadas no vpnMentor são escritas por especialistas que examinam os produtos de acordo com nossos rigorosos padrões de avaliação. Tais padrões garantem que cada avaliação seja baseada na análise independente, profissional e honesta do avaliador, e leva em consideração as capacidades técnicas e qualidades do produto, juntamente com seu valor comercial aos usuários. Os rankings que publicamos podem levar em consideração as comissões de afiliados que recebemos por aquisições efetuadas através de links em nosso site.

5 melhores VPN Linux grátis testadas e atualizadas 2023

Encontrar uma VPN grátis de alta qualidade é uma tarefa dura — porém, encontrar uma com suporte robusto para Linux é quase impossível. A maioria das VPNs tem como foco os sistemas operacionais mais tradicionais, deixando o suporte ao Linux em segundo plano.

Testei 45+ VPNs grátis para verificar quais delas funcionam melhor para Linux. As principais opções de VPN grátis Linux oferecem suporte ao Ubuntu, Fedora, Kali, Mint e a diversas outras distros populares. Elas não exigem instalação manual e oferecem apps intuitivos para CLI (interface de linha de comando) ou GUI (interface gráfica). Porém, elas têm pontos negativos, incluindo velocidades menores, redes pequenas de servidores e dados limitados.

Minha principal escolha de VPN Linux é o ExpressVPN. Embora não seja 100% grátis, ele oferece dados ilimitados, velocidades ultrarrápidas e uma ampla rede de servidores, além de extensões de navegador que também atuam como GUIs. Nenhuma VPN grátis se compara. Você pode testar o ExpressVPN totalmente sem riscos, pois ele oferece uma garantia de reembolso de 30 dias. Testei a política para ver se ela era confiável e conseguir receber todo o dinheiro de volta em apenas 3 dias.

Experimente o ExpressVPN para Linux

Está com pouco tempo? Aqui estão as melhores opções de VPN Linux grátis em Janeiro 2023

  1. ExpressVPN — excelentes velocidades dos servidores em 94 países, os quais permitem navegar, baixar e enviar torrents e fazer streaming sem lentidão. Além disso, oferece dados ilimitados e é muito fácil de instalar. Você pode até mesmo testar o ExpressVPN sem riscos.
  2. CyberGhost — servidores especializados ajudam a desbloquear inúmeras plataformas de streaming em todas as principais distros de Linux. Oferece garantia de reembolso de 45 dias, o que permite testá-lo sem riscos financeiros.
  3. Proton VPN — sua interface gráfica completa para Linux o torna muito fácil de gerenciar. Oferece ainda largura de banda ilimitada, mas não pode ser usado para baixar e enviar torrents.
  4. hide.me — instalação descomplicada e rigorosa política antilogs (no-logs policy), mas não desbloqueia nenhuma plataforma de streaming.
  5. OperaVPN — fácil de instalar e disponibiliza uma interface gráfica, mas protege apenas seu navegador.

Melhores VPN grátis Linux — análise completa (atualizado em 2023)

1. ExpressVPN – melhor VPN Linux em termos gerais com velocidades globais ultrarrápidas

  • Velocidades ultrarrápidas para fazer streaming, navegar e baixar e enviar torrents sem interrupções em seu dispositivo Linux
  • 3.000 servidores em 94 países (incluindo Brasil e Portugal) para ajudá-lo a acessar mais conteúdo
  • Dados ilimitados permitem desfrutar suas atividades online sem restrições
  • Funciona com: Netflix (EUA, BR e outras bibliotecas populares), Disney+, Hulu, HBO Max, Amazon Prime Video, BBC iPlayer, serviços locais como Globo, SIC e RTP e mais
  • Compatível com: Ubuntu, Kali, Debian (9 &10), Mint (20.1 & LMDE), Fedora (34), Arch, Raspberry Pi e mais
  • Base de conhecimento disponível em português
Oferta do ExpressVPN de Janeiro 2023: apenas por tempo limitado, você pode adquirir uma assinatura do ExpressVPN com até 49% de desconto! Não perca!

As altas velocidades do ExpressVPN permitem navegar, fazer streaming e baixar e enviar torrents no Linux sem qualquer lentidão. O ExpressVPN é a VPN mais rápida que já testei, sendo que o servidor mais próximo de mim (Dallas) reduziu minhas velocidades em apenas 1%. Isso me permitiu transmitir em HD sem buffering, bem como baixar arquivos rapidamente e navegar sem tempos de carregamento. Além disso, ele oferece dados ilimitados, portanto você pode fazer tudo o que costuma fazer online sem restrições. Não há nenhuma VPN grátis capaz de igualar esses resultados.

Screenshot of ExpressVPN's command line on Linux switching to the Lightway TCP protocol Você deve desconectar a VPN antes de trocar de protocolo

Ele disponibiliza uma enorme rede de servidores, o que facilita para encontrar um servidor próximo a você — os servidores nas proximidades normalmente oferecem as melhores velocidades. As VPNs grátis costumam oferecer apenas algumas poucas localizações, dificultando para encontrar um servidor próximo que não esteja superlotado (o que os torna ainda mais lentos). Além disso, todos os servidores são automaticamente ofuscados. Isso oculta o fato de que você está usando a VPN e facilita para desbloquear plataformas de streaming.

Os recursos robustos de segurança do ExpressVPN o tornam uma excelente opção para proteger seu dispositivo Linux. Fiz testes de vazamento em 8 servidores diferentes, e todos foram aprovados. Todos os principais recursos de segurança disponíveis para Mac e Windows (incluindo o kill switch automático) estão inclusos no app de Linux, portanto você não perderá nada.

Você pode confiar seus dados ao ExpressVPN por conta de sua comprovada política antilogs (no-logs policy) e de sua sede nas Ilhas Virgens Britânicas, país que apoia a privacidade. Terceiros testaram essa política e confirmaram que ela é sempre cumprida. Além disso, a VPN conecta seu dispositivo Linux a servidores à base de RAM que excluem todos os dados a cada reinicialização. Por fim, ele fica sediado em um país onde não há leis de retenção de dados.

Você também pode usar o ExpressVPN no Linux com uma interface gráfica. Embora seu app não inclua uma, instalar a extensão de navegador no Chrome ou Firefox permite usá-lo sem precisar digitar comandos no terminal. Como ele atua como um controle remoto para o app, usar a extensão de navegador também acaba protegendo todo o seu dispositivo Linux (e não apenas seu navegador).

Screenshot of the ExpressVPN Firefox browser extension being used on a Linux device with UbuntuPara mudar as configurações ou usar outros recursos de segurança, você deverá acessar o app através da CLI

Os guias de configuração do ExpressVPN tornaram a instalação muito simples. No Ubuntu, simplesmente baixei o arquivo e cliquei para instalar. Basta executar o comando "expressVPN connect”, e você ficará protegido de qualquer um que esteja tentando espionar seus dados. Guias detalhados para Kali, Debian, Mint, Fedora e outras distros estão disponíveis, e os achei igualmente fáceis de usar.

Embora ele não seja 100% grátis, você pode testar o ExpressVPN para Linux sem riscos. Ele oferece uma garantia de reembolso — portanto, caso não fique impressionado, você poderá obter o reembolso integral em até 30 dias. O ExpressVPN alcançou o topo da minha lista porque nenhuma outra VPN grátis combina tantos recursos incríveis para Linux.

Testei a garantia de reembolso de 30 dias para garantir que a VPN cumpre sua palavra. Após entrar em contato através do recurso de chat 24/7 em tempo real, tive meu cancelamento aprovado em dois minutos. Eles me disseram que levaria 5-7 dias, mas fiquei satisfeito porque meu dinheiro foi devolvido em apenas três dias. Você pode falar com o suporte em português, e eles utilizarão um recurso de tradução automática do Google para responder.

Experimente o ExpressVPN hoje

2. CyberGhost – enorme rede com servidores otimizados no Linux

  • 9.758 servidores em 91 países, incluindo Brasil e Portugal, com opções especializadas para jogos, torrents e streaming
  • Altas velocidades para navegar, fazer streaming e jogar sem interrupções
  • Dados ilimitados permitem transmitir o quanto você quiser
  • Funciona com: Netflix (BR, EUA e Reino Unido), Disney Plus (EUA e Hotstar), Hulu, HBO Max, Amazon Prime Video, BBC iPlayer, serviços como Globo, SporTV e Fox Sports também estão inclusos, e mais
  • Compatível com: Ubuntu, Kali, Mint (19), Fedora (29-31), CentOS (17), e PoP!_OS
Oferta de Janeiro 2023: o CyberGhost está atualmente oferecendo 84% de desconto em seu plano mais popular! Aproveite esta oferta agora mesmo e economize mais em sua assinatura do CyberGhost.

A rede do CyberGhost é enorme e conta com 9.758 servidores, incluindo várias categorias especializadas. Os servidores otimizados (que raramente estão disponíveis em serviços grátis) são especializados para desbloquear a Netflix, Disney+ e outras plataformas populares de streaming em 22 países. Consegui desbloquear todas as principais plataformas no meu dispositivo Linux. A maioria das VPNs grátis enfrenta problemas para acessar um único site de streaming (ou não consegue desbloquear nenhum deles).

Recursos robustos de segurança e privacidade ajudarão a manter seu dispositivo Linux protegido de ameaças online. Além da criptografia padrão de nível militar e do kill switch, ele conta com servidores NoSpy, os quais ficam hospedados na sede do CyberGhost na Romênia, país que apoia a privacidade. Esses servidores só podem ser acessados pela equipe do CyberGhost. Não encontrei nenhuma VPN que ofereça servidores grátis com esse nível de segurança. Infelizmente, o recurso de tunelamento dividido (split tunneling) não está disponível no Linux. Porém, a VPN passou em todos os meus testes de vazamento, portanto sei que ela oculta meu endereço IP de qualquer site que acesso.

Type in Digite "cyberghostvpn --status" a qualquer hora para garantir que você esteja conectado

Você pode confiar no CyberGhost para administrar seus dados porque ele também conta com uma rigorosa política antilogs (no-logs policy). A empresa foi aprovada em uma auditoria independente em 2012, a qual é refeita anualmente. Ele também oferece servidores à base de RAM e publica quatro relatórios de transparência por ano. Isso me impressionou porque, entre todas as opções de VPN Linux que testei, ele foi o mais transparente em relação às suas políticas.

O CyberGhost forneceu altas velocidades (e dados ilimitados) que me permitiram fazer streaming, navegar e baixar e enviar torrents sem interrupções. A localização mais próxima de mim reduziu minhas velocidades em uma média de apenas 10% durante meus testes. Todas as VPNs grátis que testei reduziram minhas velocidades em no mínimo 42%, portanto esse é um ótimo resultado. Os servidores otimizados também foram 15% mais rápidos que os servidores comuns, o que me permitiu transmitir sem buffering no meu desktop com Ubuntu.

A instalação foi simples, e configurei tudo em 10 minutos. O guia no site do CyberGhost explicou tudo com clareza. Embora houve alguns passos adicionais em comparação ao ExpressVPN, ainda assim foi fácil segui-los. O CyberGhost disponibiliza uma interface de linha de comando para Linux que é quase tão rápida quanto uma GUI.

Screenshot of Cyberghost CLI on Linux displaying the available arguments Você só precisa digitar o comando "cyberghostvpn" para exibir a lista

Um ponto negativo é que ele não é 100% grátis. Porém, o CyberGhost permite aproveitar sua garantia de reembolso de 45 dias. Testei-a por conta própria para ver se ela era confiável. Através do chat 24/7 em tempo real, contatei um agente de suporte. Ele perguntou o motivo do cancelamento antes de aprovar minha solicitação. Após quatro dias, recebi todo o dinheiro de volta.

Experimente o CyberGhost hoje

3. Proton VPN – app grátis com GUI completa para acesso fácil no Linux

  • A interface gráfica permite controlar a VPN sem aprender os comandos
  • Rigorosa política antilogs (no-logs policy) permite confiar seus dados
  • Dados ilimitados para inúmeras atividades online
  • Funciona com: Originais Netflix, Funimation, Crackle, YouTube, Spotify e mais
  • Compatível com: Ubuntu (20+), Kali, Mint (20+), Fedora (34+), Archlinux/Manjaro, MX Linux (19+) e Elementary OS (6.0+)

O app grátis do Proton VPN para Linux conta com uma GUI completa, portanto você pode proteger seu dispositivo Linux sem digitar nenhum comando. Ele é uma das únicas VPNs grátis que oferece interface gráfica. A GUI funciona exatamente da mesma forma como no Mac e Windows, e descobri que o Proton VPN oferece um melhor suporte para Linux que qualquer outra VPN grátis que já usei. A instalação também é simples: basta baixar o app compatível com sua distro e seguir as instruções.

Screenshot of ProtonVPN connected to a free server on LinuxVocê pode clicar com o botão direito no topo do app para redimensionar

O Proton VPN oferece segurança de ponta, embora alguns recursos não estejam disponíveis gratuitamente. O app grátis é seguro e passou em todos os meus testes de vazamento, mas não é possível usar seus servidores multi-hop Secure Core. Além disso, você conta apenas com o protocolo OpenVPN no Linux (outras versões também incluem o WireGuard e o IKEv2/IPSec).

Para uma VPN grátis, ele é uma das opções que mais favorece a privacidade no Linux com uma comprovada política antilogs (no-logs policy) e sede na Suíça (país que não integra a Aliança 14 Olhos). Em 2019, o Proton VPN foi obrigado por uma corte suíça a compartilhar dados de clientes com outro país, mas não pôde cumprir a determinação porque não armazena logs. Embora seja preciso se cadastrar para usá-lo, você só precisa fornecer um endereço de e-mail.

Apesar de oferecer dados ilimitados, ele não é uma boa opção para streaming — só consegui acessar a Netflix, e apenas conteúdo Originais Netflix. Sinceramente, isso continua sendo notável, pois a maioria das VPNs grátis é totalmente bloqueada pela maioria das plataformas. Pior ainda é o fato de que não há suporte para baixar e enviar torrents em seu app grátis de Linux, o que seria ótimo em conjunto com os dados ilimitados.

Fiquei um pouco decepcionado com o fato de que a maioria dos 100+ servidores grátis estava acima de 95% da capacidade, o que limitou minhas velocidades. Com apenas três localizações (Japão, Holanda e EUA), você não obterá velocidades tão altas quanto as do ExpressVPN. Porém, o Proton VPN é uma boa opção para navegar de forma segura e anônima ou até mesmo fazer streaming no YouTube.

Comece a usar o Proton VPN grátis

4. hide.me – instalação muito simples no Linux

  • Instalação rápida permite conectar-se em minutos
  • Política de privacidade comprovada garante que seus dados não serão registrados
  • 10 GB/mês e boas velocidades para navegação casual ou 15+ horas de streaming
  • Funciona com: Netflix, YouTube, Spotify e mais
  • Compatível com: Ubuntu e Fedora (24+)

De todas as opções de VPN Linux que testei, o hide.me foi o mais fácil de configurar no Linux. Basta apenas copiar e colar um comando do site do provedor no seu terminal. A VPN será instalada; em seguida, você só precisa inserir seu nome de usuário (não é preciso conta de e-mail para se cadastrar) e senha. Ele até mesmo fornece um comando para conectar-se assim que você faz o login.

Screenshot of hide.me's installation guide for LinuxA CLI de Linux possui código aberto, portanto está sendo testada por pessoas do mundo inteiro em busca de problemas de segurança

Ele disponibiliza uma interface de linha de comando através da qual você pode se conectar a 5 localizações: EUA Leste, EUA Oeste, Alemanha, Canadá e Holanda. Durante meus testes, fiquei um pouco surpreso com o fato de que a interface é um pouco mais difícil de usar que outras VPNs grátis para Linux, principalmente depois de uma instalação tão simples. Por exemplo, é preciso habilitar uma localização antes de se conectar a ela, o que significa que você precisa usar dois comandos, em vez de um.

A segurança é padrão, mas o app de Linux carece de recursos extras. Você conta com criptografia de 256 bits, proteção contra vazamentos e kill switch. O WireGuard é o único protocolo oferecido no Linux, o que na verdade é um bônus, pois é preciso pagar um plano premium para usá-lo no Windows e Mac (porém, estes oferecem quatro outros protocolos à sua escolha). Você também não conta com tunelamento dividido (split tunneling).

Você pode confiá-lo para proteger sua privacidade, pois ele conta com uma política antilogs (no-logs policy) auditada e comprovada. Além disso, ele fica localizado fora da Aliança 14 Olhos (14-Eyes Alliance), na Malásia. E ainda oferece um chat 24/7 em tempo real que você pode usar mesmo sendo usuário do plano grátis, o que é raro.

10 GB de dados por mês e altas velocidades fazem dele uma boa opção para navegar casualmente, baixar e enviar torrents com moderação ou assistir ao YouTube em seu dispositivo Linux. Durante meus testes, consegui acessar apenas a Netflix EUA (e de forma pouco confiável). Ele reduziu minha velocidade de download em 56%. Isso me permitiu assistir ao YouTube com buffering mínimo, e os dados são suficientes para transmitir por aproximadamente 16 horas. Você também pode usar os servidores grátis para P2P, mas só poderá baixar alguns arquivos grandes por conta do limite de dados.

Comece a usar o hide.me grátis

5. OperaVPN – interface gráfica no Linux para criptografar seu navegador

  • GUI em formato de navegador evita a necessidade de digitar comandos
  • 3 localizações nas Américas, Europa e Ásia
  • Instalação fácil sem uso do terminal
  • Funciona com: YouTube e TikTok
  • Compatível com: Ubuntu

O OperaVPN é uma navegador grátis que vem com um recurso de VPN. Isso significa que você pode usá-lo no Linux sem digitar comandos no terminal. Ele também é muito fácil de instalar. Basta apenas baixar o app no site e executar o arquivo de instalação; em seguida, você encontrará o navegador na sua lista de apps.

A segurança é boa, ainda que um tanto limitada. O OperaVPN passou nos testes de vazamento que fiz nos três de seus servidores. Embora isso seja positivo, não protege tudo o que há no seu dispositivo Linux, mas apenas o tráfego do seu navegador. Seus outros apps continuarão vulneráveis a ciberataques e olhos curiosos. Além disso, ele não conta com kill switch, assim como as outras opções grátis oferecem (que protege no caso de falha da VPN).

Baixas velocidades e capacidades inferiores de desbloqueio o tornam uma má opção para streaming. O OperaVPN reduziu imensamente minhas velocidades (cerca de 98%) durante meus testes. Embora isso não tenha afetado minha experiência de navegação, não consegui sequer acessar a Netflix. Os vídeos no YouTube levaram muito tempo para carregar e apresentaram buffering constante e quedas de qualidade. Não consegui jogar jogos baseados em navegador. Isso significa que os dados ilimitados oferecidos não serão muito vantajosos.

O OperaVPN armazena alguns dados, mas não registra nada que possa identificar você. Ele usar os dados anonimizados que coleta para realizar operações em seus recursos tecnológicos e exibir anúncios segmentados. A única maneira pela qual ele pode identificá-lo é através de informações que você envia diretamente. Portanto, recomendo não se cadastrar usando um perfil de mídias sociais que possa estar conectado ao seu nome e endereço de e-mail.

Comece a usar o OperaVPN grátis

Tabela comparativa rápida: melhores opções de VPN grátis para Linux

A tabela abaixo mostra os principais recursos de que você precisa em uma VPN Linux.

Primeiro, você deve saber se ela oferece suporte à sua distro. Caso não queira digitar comandos no terminal, você precisará de uma VPN com interface gráfica (GUI). Tamanho da rede de servidores, limite de dados e velocidades são outros fatores importantes.

Todas as VPN desta lista são fáceis de instalar (sem configuração manual), oferecem alta segurança e cumprem uma rigorosa política antilogs (no-logs policy). Porém, elas diferem em alguns outros quesitos, conforme exibido abaixo.

VPN Velocidade Distros Linux Interface Servidores Dispositivos por licença Limite de dados
🥇ExpressVPN Ultrarrápido Ubuntu, Kali, Debian, Mint, Fedora, Arch, Raspberry Pi CLI (GUI nas extensões de navegador) 3.000 em 94 localizações 5 Ilimitado
🥈CyberGhost Rápido Ubuntu, Kali, Mint, Fedora, CentOS, PoP!_O CLI 9.758 em 91 localizações 7 Ilimitado
🥉Proton VPN Rápido Ubuntu, Kali, Mint, Fedora, Archlinux/Manjaro, MX Linux, Elementary OS GUI 100+ servidores em in 3 localizações 1 Ilimitado
hide.me Intermediário Ubuntu, Fedora CLI 5 localizações 1 10 GB/mês
OperaVPN Lento Ubuntu GUI (navegador Opera) 3 localizações 6 Ilimitado

Experimente o ExpressVPN sem riscos

Aviso: os riscos da VPNs grátis

Todas as VPNs grátis são limitadas, e muitas simplesmente não são seguras. A melhor opção no Linux é usar uma VPN acessível que inclua garantia de reembolso. Estes são alguns dos perigos que podem ocorrer com o uso de uma VPN grátis Linux:

  • Muitas VPNs grátis vendem seus dados. As VPNs grátis precisam de alguma forma de ganhar dinheiro, e muitas lucram com a venda de suas informações. É por isso que é importante a política de privacidade da sua VPN Linux para garantir que ela não armazene ou compartilhe quaisquer informações pessoalmente identificáveis.
  • As VPNs grátis podem oferecer baixa segurança. Muitas vezes, as VPNs grátis não oferecem os mesmos recursos de segurança das opções premium. Como não lucram igual a estas, elas têm dificuldades para acompanhar os últimos avanços de segurança, o que significa que você não pode confiar nelas para mantê-lo protegido.
  • Uma VPN Linux grátis pode conter malware ou vírus. Algumas "VPNs grátis” obscuras adicionam trackers ao seu computador para roubar suas informações. Antes de carregar qualquer arquivo no seu dispositivo Linux, recomendo escaneá-lo primeiro.

Dicas para escolher a melhor VPN grátis Linux

Esta lista mostra os critérios que usei para ranquear as melhores opções de VPN para Linux grátis. Para encontrar sua melhor opção, recomendo que procure por estes recursos:

  • Suporte real para Linux. Muitas VPNs oferecem apps para Linux, mas eles costumam ser severamente limitados. Isso é principalmente verdadeiro com os serviços grátis. Todos os apps da minha lista oferecem suporte pleno ao Ubuntu, e as principais recomendações são compatíveis com várias outras distros. Algumas até mesmo vêm com interface gráfica completa, e todas são fáceis de usar.
  • Instalação descomplicada. Não adicionei nenhuma VPN à minha lista que exijam configuração manual complicada. Além disso, a configuração manual não é recomendada, pois os apps oferecem recursos de segurança mais robustos. Todas as VPNs que recomendei podem ser instaladas no seu dispositivo Linux bastando baixar um arquivo ou digitar alguns comandos no terminal.
  • Segurança robusta. Não faz sentido usar uma VPN que não consiga manter você protegido. Todas as VPN desta lista oferecem criptografia de nível militar e protocolos seguros (como OpenVPN e WireGuard), além de ter passado nos meus testes de vazamento. Procure por uma VPN grátis Linux que também inclua kill switch (algumas não incluem) – essa é sua última linha de defesa, caso sua conexão VPN caia.
  • Política de privacidade confiável. Você de confiar no fato de que sua VPN será responsável com seus dados. Ela oculta suas informações de hackers e outros atores perigosos, mas para fazer isso precisa de acesso a elas. Nenhuma das opções de VPN Linux da minha lista armazenará nenhuma de suas informações identificáveis.
  • Boas velocidades. Todas as VPNs reduzem sua velocidade em alguma medida, principalmente em servidores grátis sobrecarregados. Porém, se não puder nem sequer navegar com tranquilidade, você está usando o serviço errado. Todas as VPNs da minha lista me forneceram velocidades suficientes para navegar com tempos de carregamento mínimos no Linux. As melhores até mesmo me permitiram fazer streaming sem buffering.
  • Acesso a plataformas de streaming. Você não poderá fazer transmissões se sua VPN não conseguir desbloquear nenhuma plataforma. As quatro principais VPNs da minha lista podem acessar a Netflix, no mínimo.

Experimente o ExpressVPN hoje

Como configurar uma VPN para Linux

Embora seja possível configurar manualmente o OpenVPN no Linux, não recomendo fazê-lo. Você ainda precisará dos arquivos de configuração do OpenVPN, o que significa que provavelmente precisará de uma assinatura de VPN de qualquer forma. Todas as opções de VPN grátis Linux da minha lista oferecem protocolos ultrasseguros (a maioria com o OpenVPN) integrados em seus apps, portanto realmente não há motivos para enfrentar a complicação de uma configuração manual.

Usei a configuração do app do ExpressVPN como exemplo neste guia, portanto o processo pode ser diferente dependendo da sua VPN escolhida.

  1. Adquira uma VPN. Minha principal opção para Linux é o ExpressVPN. A maioria das VPNs requer cadastro, portanto você precisará de um nome de usuário e senha para acessar a VPN através do terminal. Se nenhum cadastro for necessário, pule este passo.
  2. Baixe a VPN. Acesse a página de downloads no site da VPN. Certifique-se de baixar o arquivo compatível com sua distro.
    Screenshot of ExpressVPN account page highlighting where to download the Linux appVocê pode usar o menu suspenso para encontrar o arquivo de instalação certo para sua distro
  3. Abra o arquivo ou o terminal. Isso dependerá da sua VPN escolhida. Em algumas delas, você clicará duas vezes no arquivo.exe para iniciar. Outras exigem que você digite comandos no terminal. Todas as VPNs da minha lista oferecem guias de configuração detalhados, portanto basta apenas copiar e colar os comandos indicados.
    Screenshot of ExpressVPN account page highlighting where to download the Linux appO arquivo deverá ser exibido no seu navegador; você também pode encontrá-lo na pasta de arquivos baixados
  4. Faça o login ou a ativação. Você deverá ter em mãos seu nome de usuário, senha e possivelmente um código de ativação para começar. Mesmo que sua VPN não tenha exigido cadastro, você ainda poderá precisar da senha de autenticação do seu dispositivo Linux para conceder à VPN permissão para se conectar.
    Screenshot of ExpressVPN's Linux app showing how to activate it in the terminalBasta apenas digitar "expressvpn activate" e inserir seu código de ativação para começar
  5. Conecte-se à VPN. Caso sua VPN tenha uma interface de linha de comando, a primeira coisa que recomendo após a instalação é exibir a lista de comandos. Por exemplo, no CyberGhost o comando é "cyberghostvpn”. Ele lhe mostrará como se conectar. Caso sua VPN tenha uma interface gráfica, basta clicar no botão de liga/desliga.
  6. Permaneça protegido no seu dispositivo Linux. Agora que está conectado, você pode usar seu dispositivo como sempre costuma fazer.

Experimente o ExpressVPN sem riscos

FAQs sobre as melhores opções de VPN grátis Linux

Há alguma VPN para Linux grátis com interface gráfica completa?

Sim. Minha principal opção permite controlar o app de Linux por meio de uma GUI. Como muitas opções de VPN Linux são uma forma de versão limitada da contraparte de Windows, não há nem mesmo muitas VPNs pagas que oferecem interface gráfica completa. Para uma VPN totalmente grátis, o Proton VPN é uma das únicas com GUI completa. Porém, se você pretende fazer streaming ou baixar e enviar torrents, ele não é uma ótima opção porque não permite P2P e não oferece suporte para streaming. É sempre melhor fazer upgrade ou optar por uma VPN premium de baixo custo para desfrutar uma funcionalidade completa.

Qual distro de Linux é a mais segura de usar com uma VPN?

Recomendo o Ubuntu. Se você não sabe qual VPN escolher, todos os serviços desta lista funcionam com o Ubuntu. Ele é uma das distros mais populares. Além disso, é compatível com a maioria das VPNs, portanto facilita para você encontrar sua opção ideal.

Embora o Linux seja mais seguro que o Windows e o Mac de algumas maneiras, as pessoas ainda poderão espionar seus dados se você não usar uma VPN. Usar o Ubuntu no seu desktop enquanto conectado a uma VPN tornará quase impossível para terceiros espionarem seus dados.

É difícil instalar uma VPN no Linux?

É fácil se você escolher a VPN adequada. Todas as VPNs desta lista contam com processos simples de instalação para Linux. Muitas VPNs ignoram o Linux e tornam a instalação longa e complexa. Por exemplo, muitas delas exigem a instalação manual de um protocolo como o OpenVPN, o que leva muito tempo. Porém, as melhores VPNs tornam tão simples de instalar quanto os apps de Windows ou Mac, portanto você não precisa configurar nada manualmente.

Há alguma VPN grátis que funcione com Ubuntu e Kali?

Todas as VPNs desta lista funcionam com o Ubuntu. Porém, apenas as três principais são compatíveis com o Kali.

Posso usar o OpenVPN no meu dispositivo Linux sem um provedor de VPN?

É possível, mas não recomendo. Todas as VPNs desta lista funcionam muito bem no Linux e são muito mais fáceis de configurar. Embora tecnicamente não haja uma VPN integrada para Linux, você pode configurar manualmente o OpenVPN e outros protocolos como o WireGuard no seu desktop Linux.

Porém, esse processo é longo e tedioso. Além disso, você abre mão de várias vantagens que vêm com um app de VPN. Por exemplo, você ainda precisará de servidores seguros e confiáveis, os quais são oferecidos pelas VPNs, portanto poderá precisar adquirir uma assinatura de qualquer modo. Há servidores grátis disponíveis, mas você não terá garantia de que eles são seguros, pois não cumprem nenhuma política antilogs (no-logs policy), algo que as principais VPNs oferecem.

Há alguma VPN grátis Linux que funcione na China?

Existem algumas, mas recomendo fortemente usar uma VPN premium de baixo custo. Como a China conta com medidas antiVPN muito rigorosas em vigor, até mesmo muitos dos melhores provedores de VPN não funcionam no país. As VPNs grátis geralmente não incluem tecnologia de ofuscação integrada, a qual é necessária para que uma VPN funcione na China.

Tanto o ExpressVPN quanto o hide.me funcionam na China, mas em ambos os casos você precisará adquirir uma assinatura paga para acessar os recursos que permitam fazer isso.

Uma VPN grátis Linux reduzirá minhas velocidades de conexão?

Sim, todas as VPNs reduzirão a velocidade da sua conexão em alguma medida porque leva tempo para criptografar e redirecionar seu tráfego. As VPNs desta lista apresentaram boas velocidades no Linux. Uma ótima VPN limita tão pouco suas velocidades que você mal notará. Por exemplo, o ExpressVPN reduziu minhas velocidades em apenas 1% em média nos servidores próximos.

As VPNs grátis reduzirão suas velocidades significativamente mais do que as VPNs pagas porque oferecem menos servidores, os quais costumam estar sobrecarregados. Em média, as VPNs 100% grátis desta lista reduziram minha velocidade de base em cerca de 50%. Para obter as melhores velocidades, você precisará de uma VPN rápida com servidores no mundo inteiro, para que possa encontrar um servidor próximo à sua localização.

Experimente o ExpressVPN hoje

Conclusão

Há algumas VPNs grátis e seguras para Linux, mas todas elas contêm limitações. Muitas VPNs grátis oferecem uma variedade pequena de servidores, além de recursos de segurança limitados e velocidades menores. Além disso, elas normalmente incluem menos recursos no Linux em comparação com seus apps para Windows ou Mac.

É por isso que recomendo uma opção premium de baixo custo como o ExpressVPN. Ele oferece um ótimo app de Linux com inúmeros servidores, velocidades ultrarrápidas e segurança de ponta. A instalação é rápida e fácil, e você pode até mesmo usar uma de suas extensões de navegador como interface gráfica. Ele vem com uma garantia de reembolso de 30 dias, portanto você pode testar o ExpressVPN sem riscos. Posso comprovar a confiabilidade da garantia após testá-la. Caso não fique satisfeito, você poderá obter o reembolso facilmente.

As principais VPNs que você pode testar sem riscos com garantias de reembolso...

Posição
Provedor
Nossa pontuação
Desconto
Visitar site
1
medal
9.8 /10
Economize 49%!
2
9.8 /10
Economize 84%!
3
9.6 /10
Economize 82%!
4
9.4 /10
Economize 71%!
5
9.2 /10
Economize 83%!
Alerta de privacidade!

Seus dados estão sendo expostos aos sites que você visita!

Seu endereço IP:

Sua localização:

Seu provedor de Internet:

As informações acima podem ser usadas para rastreá-lo, direcionar anúncios para você e monitorar o que você faz online.

As VPNs podem ajudá-lo a ocultar essas informações dos sites para que você esteja protegido o tempo todo. Recomendamos a ExpressVPN — a VPN nº 1 entre mais de 350 provedores que testamos. Ela possui criptografia de nível militar e recursos de privacidade que vão garantir sua segurança digital, e mais — ela está oferecendo atualmente 49% de desconto.

Visite a ExpressVPN

Sobre o autor

Adriano é fã de tecnologia e graduado pela Universidade Católica de Santos. Ele acredita que a privacidade online é fundamental para quem quer desfrutar a verdadeira liberdade na internet.

Gostou desse artigo? Avalie!
Eu detestei Eu não gostei Achei razoável Muito bom! Eu adorei!
de 10 - votado por usuários
Obrigado pelo seu feedback.
Comentar O comentário deve ter de 5 a 2.500 caracteres.