Países da Aliança 5, 9 e 14 Olhos – o que você DEVE saber

5 eyes featured

Quando se trata de acordos internacionais de compartilhamento de inteligência, as coisas podem ficar rapidamente complicadas. Porém, não se preocupe — nós esclareceremos prontamente as principais informações sobre as Alianças dos Cinco, Nove e Quatorze Olhos.

Essas alianças podem ser um risco à sua privacidade, mas informaremos exatamente o que você deve fazer para proteger seus dados e manter anônima sua atividade online.

Descubra abaixo o que são essas alianças, e como elas afetam usuários de VPN como você. Além disso, incluímos um guia de jurisdições de VPN por país.

Índice

O que é a Aliança 5 Olhos?

A Aliança Cinco Olhos surgiu de um pacto de inteligência firmado na época da Guerra Fria, conhecido como Tratado de Segurança UK-USA. Originalmente, ele era um acordo de compartilhamento de inteligência entre os Estados Unidos e o Reino Unido com o objetivo de decifrar a inteligência da Rússia soviética.

No final da década de 1950, Canadá, Austrália e Nova Zelândia também se uniram à Aliança. Esses cinco países de língua inglesa compõem a Aliança Cinco Olhos como a conhecemos atualmente. O acordo de compartilhamento de inteligência entre os cinco países somente se fortaleceu ao longo do tempo, estendendo-se ao monitoramento de atividades online.

Por muitos anos, esse acordo era um segredo mantido entre os cinco países. Sua existência foi descoberta pelo público apenas em 2003. As coisas começaram a ficar mais claras em 2013, depois que Edward Snowden vazou diversos documentos que obteve enquanto trabalhava para a agência norte-americana NSA.

Esses documentos revelaram o amplo monitoramento governamental sobre a atividade online dos cidadãos, e continham provas de que a rede internacional de compartilhamento de inteligência é mais ampla do que imaginado até então.

Além das cinco nações principais da Aliança Cinco Olhos, foi confirmada a existência de outros dois acordos internacionais de compartilhamento de inteligência. Esses dois acordos, conhecidos como Aliança Nove Olhos e Aliança Quatorze Olhos, podem não ser tão integrados quanto a Aliança Cinco Olhos, mas eles ainda causam grandes implicações à privacidade na internet.

Confira um breve detalhamento de cada uma das três Alianças

Cinco Olhos: EUA, Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia
Nove Olhos: Cinco Olhos + Dinamarca, França, Holanda e Noruega
Quatorze Olhos: Nove Olhos + Alemanha, Bélgica, Itália, Suécia e Espanha

As Alianças Nove Olhos e Quatorze Olhos são basicamente extensões da Aliança Cinco Olhos original. Embora esses países possam não compartilhar tantas informações entre si, quando comparado à Aliança Cinco Olhos, eles ainda participam ativa e voluntariamente do compartilhamento internacional de inteligência.

Além dessas alianças confirmadas, vale mencionar outros países já foram pegos ou que são suspeitos de compartilhar informações com a Aliança Quatorze Olhos.

Colaboradores externos: Israel, Japão, Cingapura e Coreia do Sul

Infographic_eyes(1)

Como isto pode afetar os usuários de VPN?

As práticas de compartilhamento de inteligência desses países possuem grandes implicações aos usuários de internet e de VPNs especificamente. É seguro presumir que, caso algum desses 14 países obtenha acesso aos seus dados online, estes poderão ser, então, compartilhados com outros países.

Tudo é questão de quem detém jurisdição sobre sua atividade online quando você está usando uma VPN. Existem diversas camadas a se considerar.

Seria sua localização física? A localização do servidor? Ou a localização do provedor de VPN? Se você realmente deseja permanecer seguro, é melhor conhecer as leis e práticas dessas três possibilidades.

Conhecimento é poder

Você deve conhecer as leis e regulamentos online do país onde vive. Por exemplo, o uso de uma VPN é legalizado no seu país? Na maioria dos casos, a resposta é positiva, mas nem sempre.

Outra consideração importante é o país onde seu provedor de VPN está registrado como empresa. Recomenda-se fortemente que você não escolha um provedor de VPN que esteja sediado em algum país associado à Aliança Quatorze Olhos, caso leve sua privacidade online a sério.

Dependendo do país de localização, seu provedor de VPN pode ser obrigado a divulgar informações sobre os usuários ao governo. Em seguida, esses dados podem ser compartilhados com outros países da aliança. Você talvez nem saiba que sua privacidade foi violada.

Caso queira manter o máximo de cuidado, você também deve conhecer as práticas de vigilância do país onde seu servidor utilizado está localizado, independentemente da localização do provedor de VPN.

Por que as políticas antilogs são importantes

As diversas maneiras pelas quais as VPNs podem estar sob a jurisdição de vários governos são o motivo pelo qual as melhores VPNs para privacidade possuem rigorosas políticas antilogs. Isso significa que elas não retêm nenhum tipo de informação identificável sobre seus usuários ou a respeito da atividade online deles.

Um ótimo exemplo dessa política em vigor ocorreu com o famoso provedor de VPN ExpressVPN. Uma investigação da polícia turca que envolvia um usuário do ExpressVPN tentou forçar o provedor a fornecer dados identificáveis.

Apesar de todas as tentativas, as autoridades não conseguiram encontrar nenhuma informação identificável, devido à rigorosa política antilogs do ExpressVPN.

Por mais reconfortante que essa história seja, também há casos conhecidos de provedores de VPN que afirmaram possuir políticas antilogs e que forneceram informações confidenciais de usuários a autoridades governamentais.

Pode não ser suficiente o fato de um provedor de VPN afirmar que possui uma política antilogs, especialmente no caso de provedores de VPN que estão sob jurisdição de países das Alianças Cinco, Nove e Quatorze Olhos.

Guia de jurisdições de VPN por país

Este guia ajudará você a compreender melhor os países que podem possuir jurisdição sobre sua atividade online e seu uso de VPN.

Para cada um dos 35 países relacionados, você descobrirá se as VPNs são legalizadas, de quais alianças de compartilhamento de inteligência ele faz parte, e quais VPNs populares estão sediadas nele. Além disso, disponibilizamos um breve resumo sobre as leis de internet e as práticas de censura relevantes em cada país.

 

Infographic 2_ World Map_1 (1)

Austrália

  • Membro das Alianças Cinco, Nove e Quatorze Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas na Austrália: Celo VPN, VPNSecure.Me

No geral, a Austrália não impõe restrições sobre o uso ou acesso à internet, e as VPNs são totalmente legalizadas.

No entanto, a Austrália é membro central da Aliança Cinco Olhos. Você talvez não consiga garantir a privacidade dos seus dados, caso eles sejam transmitidos ou armazenados nesse país, devido aos acordos de compartilhamento de inteligência.

Além disso, a Austrália exige que as empresas de telecomunicações armazenem metadados durante dois anos – e já houve diversos casos relatados de autoridades australianas que acessaram dados criptografados.

Bielorrússia

  • VPNs NÃO são legalizadas

Embora a maioria dos cidadãos tenha acesso à internet na Bielorrússia, o governo impõe forte censura ao conteúdo online. Quaisquer páginas críticas ao governo são bloqueadas, especialmente durante o período eleitoral.

O uso de VPNs é ilegal na Bielorrússia. Você pode receber uma multa pesada, caso seja pego usando uma VPN para contornar conteúdos com restrição geográfica.

Bélgica

  • Membro da Aliança Quatorze Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas

O acesso à internet na Bélgica é irrestrito, e o país é altamente comprometido com a liberdade de imprensa e de expressão.

No entanto, os provedores de internet belgas estão sujeitos a mandados de busca e podem ser obrigados a bloquear sites específicos que estejam envolvidos em atividades ilegais. Além disso, a negação do Holocausto e a apologia ao ódio são crimes puníveis com cadeia.

Ilhas Virgens Britânicas

  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas nas Ilhas Virgens Britânicas: ExpressVPN

Embora as Ilhas Virgens Britânicas sejam um território do Reino Unido, o país é autorregido por suas próprias leis e legislatura. Esse território opera fora de quaisquer acordos de compartilhamento de inteligência, o que é uma boa notícia para as VPNs sediadas nele.

As empresas de telecomunicações sediadas nas Ilhas Virgens Britânicas não estão sujeitas a nenhuma lei de retenção de dados ou à vigilância governamental legalizada.

Bulgária

  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas na Bulgária: VPNArea

A Bulgária conta com leis em vigor que protegem a liberdade de expressão e de imprensa, além de impedir a interferência governamental arbitrária à privacidade dos indivíduos.

O país foi alvo de críticas por permitir que as autoridades solicitem dados eletrônicos sem autorização judicial. Também há uma preocupação de que a corrupção no governo e na mídia possa estar comprometendo a liberdade de imprensa e a segurança dos jornalistas no país, mas até o momento não houve relatos de que isso se estenda a restrições à liberdade na internet.

Canadá

O Canadá vem continuamente demonstrando seu compromisso com um acesso livre e irrestrito à internet, incluindo uma iniciativa para oferecer acesso universal à internet para todos os seus cidadãos. A legislação canadense conta com fortes proteções à liberdade de expressão e de imprensa, e o governo expressou seu apoio à neutralidade da rede.

No entanto, o Canadá é membro central da Aliança Cinco Olhos. Os dados que são transmitidos pelo Canadá ou armazenados no país estão sujeitos aos acordos de compartilhamento de inteligência.

China

  • Somente VPNs aprovadas pelo governo são legalizadas na China
  • VPNs populares sediadas na China: Turbo VPN

A China é frequentemente classificada pela Freedom House como o país que mais abusa da liberdade na internet no mundo. As restrições às atividades na internet aumentaram ainda mais após a introdução de uma lei de cibersegurança que impõe consequências financeiras pesadas sobre as empresas de telecomunicações que não cumprirem as regulações.

Além da forte censura e vigilância, a China exige das empresas de internet a localização de dados e o registro de nomes reais. As empresas de telecomunicações sediadas na China são obrigadas a fornecer quaisquer dados solicitados durante investigações governamentais.

Até mesmo muitas empresas de tecnologia estrangeiras, incluindo a Apple, foram forçadas a cumprir as novas e opressoras regulamentações aos usuários chineses.

Os provedores de VPN são obrigados a solicitar a aprovação do governo antes de conceder acesso à rede global. Usuários de internet que forem pegos acessando a rede de internet internacional por meio do uso de VPNs sem aprovação governamental estão sujeitos a multas.

República Tcheca

  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas na República Tcheca: Avast Secureline

A República Tcheca não costuma restringir o acesso à internet, além de contar com leis em vigor que protegem a liberdade de expressão. Existem diversas exceções a essas proteções. Crimes de discurso de ódio, negação do Holocausto e negação da era comunista não são considerados como discurso protegido.

Os provedores de internet são obrigados a bloquear o acesso a sites específicos que ofereçam acesso a loterias estrangeiras não tributadas e não reguladas.

Alguns provedores de internet sediados na República Tcheca também são conhecidos por bloquear conteúdos que promovam pornografia infantil ou racismo. Não há relatos conhecidos de vigilância governamental sobre atividades online.

Dinamarca

  • Membro das Aliança Cinco e Quatorze Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas

A Dinamarca mantém em vigor diversas proteções à liberdade de expressão, incluindo uma cláusula específica contra qualquer tipo de censura.

Embora haja algumas restrições sobre conteúdo online impostas pelo governo, todos os principais provedores de internet sediados na Dinamarca cooperam com iniciativas da polícia para bloquear a pornografia infantil. A maioria dos usuários de internet dinamarqueses está sujeita a esse filtro. Alguns sites específicos de torrenting também são bloqueados por alguns provedores.

Como a Dinamarca é um membro famoso da Aliança Nove Olhos, os dados transmitidos através do país podem não permanecer privados, devido aos acordos de compartilhamento de inteligência.

Finlândia

Não há restrições impostas pelo governo sobre o acesso à internet na Finlândia. Alguns sites denunciados como detentores de pornografia infantil podem ser bloqueados por alguns provedores de internet.

Embora esse filtro tenha sido estimulado pela polícia finlandesa, ele é voluntário. Os provedores que implantaram o filtro receberam críticas por também bloquear alguns sites de pornografia que não estavam associados com pornografia infantil.

França

  • Membro das Alianças Nove e Quatorze Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas

Embora a França apoie a liberdade de expressão e permita acesso sem filtros ao conteúdo online, há preocupações em relação a diversas propostas do governo no sentido de combater fake news e lidar com ameaças terroristas.

Essas iniciativas levaram ao aumento de práticas de vigilância e coleta de dados, incluindo a expansão do compartilhamento de inteligência com integrantes da Aliança Quatorze Olhos.

Alemanha

  • Membro da Aliança Quatorze Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas na Alemanha: Avira Phantom, Zenmate

A Alemanha expressou seu forte compromisso com o respeito à privacidade e à liberdade de expressão, mas essa dedicação tem limites claros. Diversas leis que foram aprovadas ampliam os poderes de vigilância online da Alemanha, tanto internamente quanto internacionalmente.

As leis permitem que a polícia monitore a atividade online de cidadãos mesmo onde não haja suspeitas de atividades criminosas. Além disso, a Alemanha foi alvo de críticas por sua controversa lei de retenção de dados.

O governo também está fortemente envolvido em iniciativas para censurar discursos de ódio das redes sociais e outros meios de comunicação online.

Gibraltar

  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas em Gibraltar: Buffered, IVPN

Semelhantemente às Ilhas Virgens Britânicas, Gibraltar é um território britânico autônomo que conta com seu próprio governo eleito.

Entretanto, Gibraltar não é totalmente independente nas questões de defesa e segurança. O Reino Unido se reserva o direito de assumir o poder e tomar decisões relativas a política externa e segurança, incluindo a adoção de vigilância.

Isso significa que, embora não faça parte de nenhuma aliança formal de compartilhamento de inteligência, Gibraltar não está livre dos olhares curiosos da Aliança Quatorze Olhos.

Grécia

  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas na Grécia: ZoogVPN

As leis da Grécia contêm cláusulas claras de proteção à liberdade de expressão e de imprensa, e não há evidências de que o governo censure, bloqueie ou interfira no conteúdo online.

No entanto, o sistema judiciário deixou claro que as leis de privacidade na Grécia não se estendem às comunicações na internet. Embora essa decisão seja controversa, a polícia tem o direito legal de monitorar a atividade e os dados online dos cidadãos.

Hong Kong

Embora seja um território chinês, Hong Kong mantém sua autonomia e é capaz de se autogovernar na maior parte do tempo. A censura e as restrições geográficas da China não afetam Hong Kong, o que permite um acesso à internet praticamente ilimitado no território, exceto por alguns conteúdos na web que promovem pornografia ou pirataria.

No entanto, a vigilância online pelas agências governamentais de Hong Kong é comum, e há preocupações sobre as crescentes tentativas de controle por parte da China continental sobre Hong Kong.

Irã

  • Somente VPNs aprovadas pelo governo são legalizadas no Irã

A liberdade na internet no Irã é classificada como altamente restrita pela Freedom House. Protestos antigovernamentais resultaram em uma grande interrupção das conexões de internet, bem como no bloqueio das principais plataformas de redes sociais pelo governo.

Os provedores de VPN são obrigados a solicitar aprovação do governo antes de fornecer acesso à rede global. Os usuários de internet que forem pegos acessando a rede de internet internacional por meio de VPNs sem aprovação governamental correm risco de passar 1 ano na cadeia – embora, na realidade, isso seja raro.

Essa lei é principalmente aplicada sobre adversários do governo que sejam mais estridentes, e não sobre os cidadãos comuns.

Israel

  • Colaborador externo da Aliança Cinco Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas em Israel: Hola VPN

Israel oferece sólidas proteções legais à liberdade de expressão, inclusive na internet. Não há casos conhecidos ou suspeitas de que o governo censure conteúdo online.

Embora Israel não seja membro oficial de nenhuma aliança de compartilhamento de inteligência, existem alguns casos conhecidos nos quais o país trabalhou intimamente com os EUA em iniciativas de vigilância. Isso é muito benéfico para os EUA, pois as agência de inteligência israelenses têm poderes mais amplos que a agência NSA.

Italy

  • Member of Fourteen Eyes Alliance
  • VPNs ARE legal
  • Popular VPNs based in Italy: AirVPN

Italy protects freedom of expression, and residents can take advantage of mostly unrestricted internet access, with the exception of some filtering of web content promoting child pornography and gambling.

Italy has been slow to expand internet infrastructure. As of 2018, only a little over 60% of the population had consistent internet access according to Freedom House.

There are also a number of internet privacy concerns in Italy, including a provision requiring telecommunications companies to retain internet data for up to six years.

Japão

  • Suspeito de colaborar com a Aliança Cinco Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas no Japão: VPN Gate

A censura é proibida no Japão devido à forte proteção da liberdade de expressão. Os residentes do país podem desfrutar um acesso livre e irrestrito à internet, embora alguns provedores de serviço filtrem conteúdos específicos voluntariamente, como pornografia infantil.

Há crescentes preocupações com a privacidade na internet, especialmente depois que a Suprema Corte do Japão decidiu não restringir a prática comum da polícia de monitorar a atividade online de residentes muçulmanos – até mesmo daqueles sem conexões comprovadas com o terrorismo.

As agências de inteligência japonesas têm acesso a equipamentos potentes de vigilância, além de ser conhecidas por ter cooperado com agências de inteligência dos EUA no passado.

Malásia

  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas na Malásia: Hide Me VPN

Não há direitos constitucionais à privacidade na Malásia, e o governo conta com amplos poderes para capturar e reter dados. No país, a liberdade na internet também se tornou mais restrita devido à Lei das Fake News de 2018, uma iniciativa do governo para censurar a disseminação de notícias falsas.

No geral, entretanto, a liberdade de expressão cresceu na Malásia, enquanto a violência e as ameaças contra jornalistas e usuários de internet se tornaram menos frequentes. O governo ampliou bastante o acesso à internet de alta velocidade, incluindo um saudável mercado aberto aos provedores de internet.

Holanda

  • Membro das Alianças Nove e Quatorze Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas na Holanda: Goose VPN

Holanda mantém uma estreita relação de compartilhamento de inteligência com nações estrangeiras, como integrante da Aliança Nove Olhos. O país oferece um acesso à internet livre e irrestrito aos seus cidadãos, incluindo uma forte oposição governamental à censura.

Recentemente, entretanto, uma proposta previamente fracassada, que exige que os provedores de internet bloqueiem o site The Pirate Bay devido à violação de direitos autorais, recebeu o apoio do tribunal nacional da Holanda.

Nova Zelândia

  • Membro das Alianças Cinco, Nove e Quatorze Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas

A Nova Zelândia apoia a liberdade de expressão, e não há censura online por parte do governo. No entanto, o governo oferece ajuda voluntária aos provedores de internet que desejam bloquear conteúdos específicos na web.

As agências de inteligência neozelandesas se beneficiam da rede de inteligência e compartilhamento de dados da Aliança Cinco Olhos.

Noruega

  • Membro das Alianças Nove e Quatorze Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas na Noruega: Opera VPN

Os residentes da Noruega desfrutam um dos acessos mais irrestritos à internet no mundo, tanto em termos de liberdade online quanto de acesso público. Os cidadãos têm o direito constitucional de acessar informações governamentais.

Assim como em grande parte da Europa, alguns provedores de internet podem filtrar sites de pornografia infantil voluntariamente. Além disso, a Noruega mantém uma estreita relação de compartilhamento de inteligência com nações estrangeiras, como integrante da Aliança Nove Olhos.

Panamá

  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas no Panamá: NordVPN

O Panamá não integra nenhuma aliança de compartilhamento de inteligência, e sua constituição protege todos as formas de expressão. Os residentes contam com acesso livre e irrestrito à internet.

A legislação do Panamá proíbe explicitamente interferências arbitrárias à privacidade por parte do governo ou da polícia. Escutas e monitoramentos não são permitidos sem autorização judicial. Alguns cidadãos chegaram a alegar que foram vítimas de monitoramento governamental não autorizado, mas isso não foi confirmado.

Romênia

Na maior parte das vezes, os residentes da Romênia contam com acesso livre e irrestrito à internet. Há alguns filtros em vigor exigidos pelo governo, voltados à pornografia infantil. O governo se reserva o direito de bloquear o acesso a sites que não cumpram as leis referentes a pornografia.

A Romênia é considerada por muitas pessoas como apoiadora da privacidade, devido à sua frequente recusa em cumprir as leis da União Europeia de retenção obrigatória de dados, além de declará-las inconstitucionais e violadoras dos direitos à privacidade e à liberdade de expressão.

Rússia

O acesso à internet na Rússia é classificado como “não livre” pela Freedom House. O governo russo exerce grande poder sobre o ciberespaço internacional e trabalha ativamente para filtrar conteúdo e espalhar informações que beneficiem as autoridades do país.

A Rússia é considerada como um grande inimigo da internet pelos Repórteres Sem Fronteiras. As agências de inteligência russas ainda praticam uma vigilância ampla, tanto doméstica quanto internacionalmente.

Os provedores de VPN são obrigados a solicitar aprovação governamental. Os usuários de internet que são pegos usando VPNs sem aprovação do governo estão sujeitos a multas.

San Marino

  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas em San Marino: SpyOFF

San Marino conta com fortes proteções legais à liberdade de expressão e se opõe firmemente a qualquer tipo de censura. Não há casos conhecidos em que o governo de San Marino tenha monitorado cidadãos particulares ou cooperado com acordos de compartilhamento de inteligência.

Seicheles

Seicheles atua fora da influência de comunidades internacionais de compartilhamento de inteligência. O país oferece um acesso à internet livre e em grande parte irrestrito aos seus residentes. A principal exceção envolve as rigorosas leis de difamação do país. Houve ainda casos relatados de censura governamental sobre conteúdos políticos específicos online.

Cingapura

  • Colaborador externo da Aliança Cinco Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas em Cingapura: Ivacy

Embora a maioria dos residentes de Cingapura tenha acesso à internet, o governo censura conteúdo, tanto através de determinações governamentais quanto por meio de pressões financeiras e legais sobre os provedores de serviço. A lista oficial de sites bloqueados é mantida em sigilo pelo governo.

Também houve relatos de que Cingapura coopera com iniciativas de inteligência da Aliança Cinco Olhos.

Coreia do Sul

  • Colaborador externo da Aliança Cinco Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas

Embora os sul-coreanos desfrutem uma liberdade na internet significativamente maior que seus vizinhos do norte, a Coreia do Sul ainda é classificada como apenas “parcialmente livre” pela Freedom House, devido a limites sobre a liberdade de expressão para conteúdos políticos e casos de difamação.

Os cidadãos da Coreia do Sul têm direito constitucional à privacidade. No entanto, os provedores de internet foram estimulados a desenvolver sistemas de nomes reais para os usuários, o que causa preocupações quanto à liberdade e à privacidade na internet.

Além disso, foi relatado que a Coreia do Sul cooperou com iniciativas de compartilhamento de inteligência da Aliança Cinco Olhos no passado.

Espanha

  • Membro da Aliança Quatorze Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas

A Espanha conta com rigorosas leis em vigor para proteger não apenas a liberdade de expressão, mas também os dados pessoais e a privacidade. No entanto, devido à relação da Espanha com agências de inteligência estrangeiras na Aliança Quatorze Olhos, a privacidade não está garantida.

Suécia

O sistema jurídico da Suécia protege a liberdade de expressão, proíbe quase todo tipo de censura e impede qualquer interferência arbitrária na privacidade. Para monitorar o tráfego online, inclusive em questões de segurança nacional, as agências de inteligência são primeiramente obrigadas a obter permissão judicial.

No entanto, a relação da Suécia com agências estrangeiras de inteligência na Aliança Quatorze Olhos significa que a privacidade online pode não estar totalmente segura.

Suíça

A Suíça é amplamente considerada como apoiadora da liberdade na internet e da privacidade pessoal. Seus cidadãos desfrutam o direito constitucional à liberdade de expressão, e violações de privacidade são puníveis por lei.

Embora os cidadãos tenham votado para aprovar um referendo que permite que o governo monitore suas próprias atividades online, não há evidências de que esse poder tenha sido abusado.

Além disso, a Suíça não é conhecida por colaborar em acordos internacionais compartilhamento de inteligência.

Reino Unido

  • Membro fundador da Aliança Cinco Olhos
  • VPNs SÃO legalizadas
  • VPNs populares sediadas no Reino Unido: HMA, SaferVPN

O Reino Unido garante a liberdade de expressão e de informação aos seus cidadãos. Embora a privacidade também seja legalmente protegida, há uma tendência de preocupação com relação ao aumento da vigilância do governo e da polícia.

As autoridades governamentais justificam o aumento da vigilância da atividade online afirmando que ela é necessária para enfrentar o terrorismo e o abuso infantil. Por ser um dos dois membros fundadores da Aliança Cinco Olhos, o Reino Unido tem acesso a uma ampla rede de inteligência e vigilância internacional.

Estados Unidos da América

Existem sólidas proteções constitucionais à liberdade de expressão e de imprensa nos Estados Unidos. Os EUA expressaram seu forte comprometimento com a proteção da privacidade e da liberdade na internet.

À luz da quantidade de controvérsias que envolvem a vigilância governamental, o nível real do comprometimento dos EUA com a privacidade é questionável. O aumento da vigilância foi em grande parte justificado pelos esforços de contraterrorismo.

Os EUA têm acesso a um dos mais sofisticados sistemas de vigilância online do mundo, além de ser capaz de aproveitar uma rede altamente robusta de inteligência e vigilância internacional, por ser um dos membros fundadores da Aliança Cinco Olhos.

Infographic 3_ World Map_1

As 5 melhores VPNs localizadas fora dos países da Aliança Cinco Olhos

1. NordVPN

NordVPN devices

A proteção de ponta à privacidade é um dos motivos pelos quais o NordVPN é a nossa Escolha do Editor. O NordVPN opera no Panamá, fora da jurisdição da Aliança Quatorze Olhos. Isso significa que o NordVPN não pode ser obrigado a fornecer seus dados para qualquer governo.

Além de seus recursos avançados de segurança — incluindo criptografia de 2.048 bits e diversos protocolos modernos de proteção contra vazamentos — o NordVPN conta com uma rigorosa política antilogs e não possui casos conhecidos de violação de privacidade.

Por conta de sua segurança, velocidade e capacidade de contornar até mesmo os mais rigorosos bloqueios geográficos, não surpreende que os usuários estejam frequentemente impressionados com o NordVPN.

Experimente o NordVPN com garantia de reembolso de 30 dias sem riscos.

NordVPN pode desbloquear:

  • Netflix, HBO, Hulu, Showtime, BBC iPlayer, Amazon Prime Video e Sling TV.

Suporta baixar e enviar torrents:

  • Sim, servidores especializados para P2P disponíveis.

NordVPN funciona nestes dispositivos:

  • Windows, macOS, Android, iOS, Android TV, Linux, Chrome e Firefox. Ele também é compatível com roteadores.

Experimente o NordVPN agora!

2. ExpressVPN

ExpressVPN benefits

O ExpressVPN é famoso por suas velocidades de streaming ultrarrápidas, bem como por sua capacidade de contornar bloqueios geográficos robustos sobre conteúdos populares.

Ainda mais impressionante é a forma pela qual a privacidade competitiva e os recursos de segurança do ExpressVPN seguram as pontas quando estão sob pressão. Sediado nas Ilhas Virgens Britânicas, país que apoia a privacidade, o ExpressVPN comprovou de forma conclusiva que não retém nenhum log de dados – e que não é capaz de fornecer nenhuma informação identificável sobre seus usuários aos governos.

Outros recursos de segurança de ponta incluem criptografia AES 256-CBC de grau militar e uma variedade de protocolos de proteção contra vazamentos. Os usuários adoram a grande quantidade de dispositivos suportados pelo ExpressVPN, bem como seu serviço de suporte responsivo.

Além disso, o ExpressVPN oferece uma garantia de reembolso de 30 dias e uma versão de avaliação grátis para dispositivos móveis.

ExpressVPN pode desbloquear:

  • Netflix, Hulu, HBO, Amazon Prime Video, Showtime, Sling TV, DAZN e BBC iPlayer.

Suporta baixar e enviar torrents:

  • Sim, todos os servidores oferecem suporte a atividades P2P.

ExpressVPN funciona nestes dispositivos:

  • Windows, macOS, Android, iOS, Android TV, Linux, Chrome e Firefox. Ele também disponibiliza um app para uso em roteadores específicos.

Adquira o ExpressVPN

3. CyberGhost

cyberghost multiple devices

O CyberGhost opera na Romênia, país apoiador da privacidade, fora da jurisdição da Aliança 14 Olhos. Esta VPN expressou continuamente seu compromisso com a privacidade dos usuários, além de levar sua política antilogs muito a sério.

Além disso, o CyberGhost conta com a incrível criptografia AES de 256 bits e oferece protocolos de segurança de ponta para proteger os dados dos usuários. Os clientes elogiam o CyberGhost por sua interface intuitiva que inclui uma lista de configurações pré-definidas à sua escolha, com base nos seus serviços de streaming favoritos.

Os novos usuários também podem aproveitar uma versão de avaliação grátis de 7 dias e uma garantia de reembolso de 45 dias.

CyberGhost pode desbloquear:

  • Perfil dedicado para streaming com servidores otimizados para: Netflix, BBC iPlayer, Sky Go, Hulu, Comedy Central, Eurosport, ESPN e outros.

Suporta baixar e enviar torrents:

  • Sim, o perfil dedicado exibe países e quantidade de usuários.

CyberGhost funciona nestes dispositivos:

  • Windows, macOS, Android, iOS, Amazon Fire Stick, Android TV, Linux e Chrome.

Adquira o CyberGhost agora

4. VyprVPN

O VyprVPN está sediado na Suíça, país que fica localizado fora da Aliança Quatorze Olhos e que leva a privacidade na internet muito a sério. O VyprVPN e sua empresa controladora, Golden Frog, afirmaram seu compromisso com a transparência e honestidade em relação às questões de privacidade.

Aqueles clientes que estão muito preocupados com sua privacidade devem saber que o VyprVPN é transparente quanto ao fato de que alguns dados de usuários são armazenados por até 30 dias – para fins de cobrança e resolução de problemas.

Apesar disso, o VyprVPN oferece recursos de segurança competitivos, incluindo criptografia de 256 bits e firewall NAT para proteger você contra malwares. O VyprVPN ainda é um dos favoritos dos fãs por conta de sua capacidade de contornar rigorosas censuras governamentais por meio do uso de sua exclusiva tecnologia Chameleon.

O VyprVPN oferece aos novos usuários uma versão de avaliação grátis de 3 dias e uma garantia de reembolso de 30 dias.

Adquira o VyprVPN agora

5. Trust.Zone

trust zone devices

O Trust.Zone é uma ótima opção para usuários que levam sua privacidade a sério e que estão em busca de uma proteção VPN acessível. Os recursos de segurança do Trust.Zone incluem criptografia AES de 256 bits, kill switch, OpenVPN e L2TP over IPSec.

Quem se preocupa com vazamentos de dados ficará satisfeito com a política antilogs e com a transparência do Trust.Zone em relação à privacidade dos usuários. O Trust.Zone oferece aos usuários um mandado de autorização, o que indica que nenhum governo jamais solicitou a este provedor quaisquer dados de usuários.

O Trust.Zone está sediado nas ilhas Seicheles, fora da jurisdição da Aliança Quatorze Olhos. Os usuários elogiam a velocidade e a capacidade do Trust.Zone de acessar sites de streaming populares.

Você pode experimentar o serviço por meio de uma versão de avaliação grátis de 3 dias e de uma garantia de reembolso de 10 dias.

Adquira o Trust.Zone agora

Resumo

A privacidade online está se tornando uma preocupação crescente para os usuários de internet, conforme as práticas internacionais de vigilância se ampliam e ficam mais eficientes. Existem muitos motivos para ficar cauteloso com os poderes dos governos de obter acesso aos seus dados e à sua atividade online, principalmente quando os acordos internacionais de compartilhamento de inteligência podem permitir que os países contornem suas próprias leis de proteção à privacidade.

Estamos sempre nos esforçando para fornecer informações atualizadas, para que  você possa tomar decisões fundamentadas sobre suas atividades na internet. Para adquirir uma VPN confiável e segura por um ótimo preço, não deixa de conferir nossa página de ofertas e cupons.

Leitura adicional:

Tor vs VPN: qual é mais seguro?

As melhores VPNs antilogs

Verificação de vazamentos de VPN

Comparativo de protocolos de VPN

Isto foi útil? Compartilhe.
Espere! A Nord oferece 80% de desconto em suas VPNs.