5 perigos da internet que você deve conhecer antes de viajar

Seja a negócios ou por prazer, viajar faz parte da vida de muitas pessoas. Antigamente, antes de uma viagem, nós colocávamos na mala itens essenciais como escova de dente, roupas e dinheiro (na moeda adequada).

Agora, também podemos incluir laptops, tablets e smartphones nessa lista.

Não é uma questão de escolha — em muitos casos, você simplesmente precisa dos seus dispositivos para trabalhar ou permanecer conectado enquanto viaja. Porém, em troca de todo o conforto e acessibilidade adicionais, você fica muito mais vulnerável às ameaças online.

Este artigo apresenta os riscos de ficar online enquanto você viaja, além de explicar como manter suas informações pessoais seguras diante dos perigos potenciais.

1. Wi-Fi público

O maior risco de segurança na estrada é o Wi-Fi. Particularmente, um hotspot não seguro.

O problema: todo mundo gosta de internet grátis.

Conectar-se a um Wi-Fi público para concluir um projeto ou durante seu passeio relaxante no parque é uma prática comum.

O que muitas pessoas não pensam é que essas redes são “honeypots” (sistemas com falhas de segurança) para espiões e hackers.

Quando você se conecta um hotspot público, isso significa que qualquer pessoa pode acessar seu tráfego enviado e recebido.

Pior ainda, você pode ser vítima de ladrões de identidade; seus dados pessoais podem ser roubados, ou sua identidade pode até mesmo ser controlada.

A solução: obviamente, evitar redes Wi-Fi não seguras!

Um hotspot mobile ou dispositivo USB permite que você fique online sem expô-lo a quaisquer riscos.

Se o Wi-Fi público for seu único meio de acessar a internet, adicione uma camada extra de segurança.

Uma rede privada virtual irá criptografar e redirecionar seu tráfego, garantindo privacidade total a qualquer momento. Além disso, uma VPN confiável contará com uma política antilogs, o que significa que você não irá deixar nenhum rastro digital, mesmo se estiver conectado a um Wi-Fi público.

2. Cópias falsas de hotspots

Mesmo que tenha usado uma rede wireless específica anteriormente e saiba que ela é segura, você poderá continuar correndo riscos — e não poderá identificar a ameaça até que seja tarde demais.

O problema: você pode ser enganado e fornecer seus dados pessoais.

Imagine este cenário: você está hospedado no seu hotel favorito pela milésima vez. Neste momento, todos os seus dispositivos têm o Wi-Fi do local memorizado e se conectam automaticamente.

Algumas horas depois, você começa a receber todo tipo de mensagem de alerta a partir de suas redes sociais, Gmail, etc. Alguém obteve acesso às suas informações pessoais.

O que houve de errado?

Seu laptop/celular/etc. foi enganado por uma cópia de ponto de acesso.

O programa é capaz de reproduzir suas redes wireless salvas.

Um dos programas principais é o Pineapple. Ele examina o espectro da banda 2.4 GHz em busca das suas redes favoritas e se passa por elas.

Ao se conectar a uma rede semelhante a uma das suas redes previamente salvas, você está na verdade se conectando a um ponto de acesso falso. Suas informações enviadas ficarão à mercê de quem quer que esteja por trás dessa conexão falsa — e isso raramente acaba bem.

A solução: antes de pegar a estrada, faça com que seus dispositivos “se esqueçam” de todas as redes salvas.

A conexão automática é um ótimo recurso, mas apenas para as redes privadas nas quais você possui total confiança. A inclusão manual de pontos de acesso posteriormente é uma dor de cabeça, mas (confie em nós) acessar uma cópia falsa de rede é muito pior.

Você também pode verificar a rede com os responsáveis por ela. Não tenha vergonha — como diz o ditado, é melhor prevenir do que remediar.

3. Usando computadores públicos

Os computadores públicos são um grande risco para sua segurança na internet. Felizmente, eles são menos prevalecentes nos dias atuais, mas vale a pena conhecer o que deve ou não deve ser feito quando você estiver à frente de um deles durante suas viagens.

O problema: se as redes wireless públicas são uma séria ameaça às suas informações pessoais, os computadores públicos são ainda piores.

Embora poucas pessoas sejam suficientemente inocentes para inserir informações confidenciais neles, isso ainda acontece ocasionalmente.

Não é possível garantir o que está instalado em um computador público — desde malwares mais “benignos” até ameaças sérias como keyloggers e programas de phishing, você poderá disponibilizar seus arquivos particulares para qualquer um que quiser conferi-los.

Em resumo, não acesse suas contas ao usar um PC público.

A solução: embora altamente arriscados em diversas situações, os computadores públicos são inofensivos, desde que você não digite nenhum nome de usuário ou senha.

Simplesmente acessar a internet não abrirá as portas para seus dados pessoais — contanto que restrinja suas sessões às informações atualmente disponíveis (horas de trabalho, horários de transporte, etc.) a partir de fontes confiáveis, você não irá se expor a nenhum tipo de perigo.

Caso não haja alternativas, e você precise acessar suas contas em um computador público, certifique-se de que seu navegador usado não armazene seus dados de login automaticamente.

A forma mais segura, entretanto, é usar uma VPN.

Será impossível decifrar seu tráfego criptografado, o que tornará sua navegação na internet muito mais segura. Obviamente, será preciso instalar a VPN antes de usar a internet do seu hotel ou da cafeteria — não comece o processo de cadastro usando um computador potencialmente infectado.

4. Problemas na fronteira

passport

Essa ameaça não diz respeito a malwares ou hackers — trata-se da invasão da sua privacidade.

O problema: isso pode soar um pouco improvável para alguns, mas aqueles que viajam com frequência serão os primeiros a dizer que os postos de segurança podem ser fundamentais para o sucesso ou fracasso de uma viagem.

Com o aumento recente dos ciberataques, e devido ao fato de que a ampla maioria dos viajantes possui pelo menos um smartphone, as autoridades fronteiriças não precisam de motivos para realizar verificações arbitrárias em seus dispositivos eletrônicos.

Considere os Estados Unidos, por exemplo — embora os viajantes tenham direitos garantidos na fronteira, os agentes também têm os seus.

Eles podem solicitar suas senhas, atividades nas redes sociais e mais. A regra de “exceção na fronteira” impede você de invocar a 4ª emenda da constituição norte-americana (direito à privacidade) – portanto, não é possível usar o argumento de “busca injustificada”.

Não é possível prever o que pode acontecer, mas o fato é que é muito comum ter seus dispositivos apreendidos, sua privacidade violada e sua viagem potencialmente arruinada.

No Reino Unido, você sequer precisa estar sob “suspeita razoável” para ser revistado — e os agentes fronteiriços podem reter seus dados pelo tempo que acharem necessário.

A solução: você nem sempre passará por uma revista dos seus dispositivos digitais na fronteira sem deixar de manter sua privacidade intacta.

Na teoria, você tem seus direitos — o conteúdo das suas mensagens não pode ser visualizado, você pode exercitar sua liberdade de expressão e não pode sofrer discriminação.

Entretanto, na verdade, sua viagem é totalmente dependente do agente fronteiriço responsável, e alguns são mais severos que outros – frequentemente sem justificativa.

Recusar-se a cumprir as ordens nem sempre é benéfico — seus dispositivos podem ser confiscados, e você pode acabar sendo detido ou proibido de entrar no país.

Pode ser revoltante se expor dessa forma quando sua única culpa é desfrutar as tecnologias do século 21.

Uma possível precaução é viajar com dispositivos que contenham o mínimo possível de informações confidenciais — sem dados essenciais ou links para redes sociais. Isso pode ser impossível, caso você esteja em uma viagem de negócios ou se possuir uma vida online atarefada.

Se esse for o caso, você deve procurar eliminar o máximo possível dos seus rastros digitais — afinal, você não é obrigado a deixar nenhum vestígio.

Uma VPN oferece uma solução capaz de tornar privado seu tempo na internet. Ela não o ajudará quando suas senhas forem solicitadas, mas, pelo menos, minimizará a fiscalização.

5. Acessando conteúdos restritos

As pessoas sempre querem que seus sites e serviços favoritos estejam disponíveis enquanto viajam. Em muitos casos, deixar um país impedirá o acesso a alguns conteúdos, o que pode ser um perigo indireto para seus dispositivos.

O problema: as restrições geográficas nos sites são um problema, mas de segurança. No entanto, elas podem se transformar em uma ameaça, caso você comece a procurar por maneiras arriscadas de acessá-los.

Uma busca rápida no Google mostrará diversas soluções “rápidas” e “grátis”.

Caso conheça um pouco sobre segurança na internet, entretanto, você irá rapidamente reconhecê-las como fraudes desonestas.

Porém, para muitos, a decisão impensada de experimentar o método que “funciona 100%” pode gerar consequências devastadores em seu laptop ou celular.

Seu desejo de assistir aos programas de TV norte-americanos fora dos Estados Unidos ou assistir à Netflix EUA no exterior pode proporcionar uma infestação por malware e deixar sua viagem com um gosto amargo.

A solução: vamos presumir que ter suas informações comprometidas e controladas provavelmente não seja um dos itens na sua lista de afazeres durante a viagem.

Você deve evitar confiar nas respostas recebidas na internet para seus problemas. Em vez disso, opte por uma abordagem proativa — caso queira garantir o acesso a conteúdos restritos durante suas viagens, adquira uma VPN robusta.

Se você quiser acessar o Gmail na China, o Facebook na Turquia, o WhatsApp no Catar ou o Netflix EUA em qualquer canto do mundo, fazer uso de uma VPN é uma forma comprovada para contornar o problema do bloqueio geográfico, oferecendo-lhe todo o acesso desejado ou necessário.

Uma VPN mantém você e seus dispositivos seguros durante as viagens

Como você pode ver, as redes privadas virtuais estão bem preparadas para lidar com as ameaças que possam surgir ao longo da sua viagem.

Porém, apenas obter uma VPN não será suficiente — você precisará de uma opção que seja capaz de proteger sua privacidade online enquanto garante anonimato total e acesso ilimitado à internet.

Aprenda tudo o que você precisa sobre os aspectos básicos de uma VPN através do nosso guia para iniciantes aqui.

Confira alguns recursos que você deve buscar em uma VPN ao viajar:

  • Política antilogs
  • A solidez da sua privacidade depende da política de logs da sua VPN. Uma VPN não armazenará seus dados criptografados por longos períodos, o que irá mantê-lo protegido contra terceiros e governos. Ela ainda garantirá que suas atividades permaneçam totalmente privadas.
  • Localização do provedor
  • Contar com a política certa não é suficiente para uma VPN — dependendo do local de registro do provedor, ele pode ser obrigado por lei a manter determinadas informações e divulgá-las mediante solicitação. As VPNs mais confiáveis operam em países que não fazem parte do Cinco Olhos, onde as leis são uma grande ameaça à segurança na internet.
  • Medidas de proteção
  • Ao procurar por uma boa VPN, recursos como kill switches e proteção contra vazamento de DNS são essenciais. Esses tipos de funcionalidades significam que você não precisará se preocupar com vazamentos de dados por parte do seu dispositivo, caso sua VPN suspenda a conexão criptografada.
  • Ampla variedade de servidores
  • A eficiência de uma VPN está intimamente ligada à localização dos servidores à sua disposição. Mais opções significa mais servidores próximos a você, o que, por sua vez, permite uma conexão mais rápida, independentemente da sua localização.
  • Suporte a plataformas
  • Se você está usando mais de um tipo de dispositivo, busque uma VPN que seja compatível com múltiplas plataformas. As opções confiáveis oferecem suporte às plataformas mais populares — do Windows, Mac e Linux ao Android e iOS. Elas também oferecem conexões simultâneas em múltiplos dispositivos.

Se você está com dificuldades para escolher a opção ideal, confira nosso artigo sobre as melhores VPNs para viagens.

Conclusão

Os riscos diretos ou indiretos à sua privacidade digital aumentam dez vezes quando você está na estrada. Conhecer as ameaças online é o primeiro passo para evitá-las com sucesso.

No entanto, você não precisará se preocupar com sua segurança na internet se mantiver uma VPN durante sua viagem. Seja para seu laptop, tablet ou celular, você poderá ficar tranquilo sabendo que existe uma ferramenta acessível e eficiente para mantê-lo protegido enquanto você conduz seus negócios ou desfruta a paisagem.

Isto foi útil? Compartilhe.
Compartilhe no Facebook
Tweet isso