Avaliamos os fornecedores com base em testes e pesquisas rigorosos, mas também levamos em consideração seu feedback e nosso programa de afiliados com os fornecedores. Alguns fornecedores são de propriedade da nossa matriz.
Saiba mais
O vpnMentor foi criado em 2014 para analisar os serviços de VPN e cobrir temas relacionados à privacidade. Hoje, nossa equipe de centenas de investigadores, redatores e editores de segurança cibernética continua ajudando os leitores a lutar por sua liberdade online em parceria com a Kape Technologies PLC, que também é proprietária dos seguintes produtos: ExpressVPN, CyberGhost, ZenMate, Private Internet Access e Intego, que podem vir a ser analisados neste site. As análises publicadas no vpnMentor são consideradas precisas na data de publicação de cada artigo e elaboradas conforme nossos rígidos padrões de análise que priorizam o exame profissional e honesto do especialista que faz a análise, levando em conta as capacidades técnicas e qualidades do produto juntamente com seu valor comercial para os usuários. As classificações e análises que publicamos também levam em conta a propriedade comum mencionada acima e as comissões de afiliados que ganhamos por compras através dos links em nosso site. Não analisamos todos os provedores de VPN e acreditamos que as informações sejam precisas na data de publicação de cada artigo.
Divulgação de publicidade

O vpnMentor foi criado em 2014 para analisar os serviços de VPN e cobrir temas relacionados à privacidade. Hoje, nossa equipe de centenas de investigadores, redatores e editores de segurança cibernética continua ajudando os leitores a lutar por sua liberdade online em parceria com a Kape Technologies PLC, que também é proprietária dos seguintes produtos: ExpressVPN, CyberGhost, ZenMate, Private Internet Access e Intego, que podem vir a ser analisados neste site. As análises publicadas no vpnMentor são consideradas precisas na data de publicação de cada artigo e elaboradas conforme nossos rígidos padrões de análise que priorizam o exame profissional e honesto do especialista que faz a análise, levando em conta as capacidades técnicas e qualidades do produto juntamente com seu valor comercial para os usuários. As classificações e análises que publicamos também levam em conta a propriedade comum mencionada acima e as comissões de afiliados que ganhamos por compras através dos links em nosso site. Não analisamos todos os provedores de VPN e acreditamos que as informações sejam precisas na data de publicação de cada artigo.

Qual navegador é o mais seguro? (ATUALIZADO 2024)

Catherine Ablett Pesquisadora de cibersegurança

É fato que nem todos os navegadores foram criados da mesma forma, e determinar qual deles é o mais seguro não é tão simples quanto você possa pensar.

Existem muitos aspectos a considerar: qual a abordagem em relação à privacidade? Qual tecnologia de rastreamento ele usa, e o que faz com os dados que coleta?

Você também deve garantir que seu navegador não baixe vírus ou malware, e que esteja disponível no seu dispositivo Android.

Portanto, qual navegador é o mais seguro, e qual deles é ideal para você? Vamos conferir os navegadores mais populares e os motivos pelos quais eles não são seguros. Além disso, incluímos uma lista com outros navegadores que são melhores.

Confira a verdade sobre os navegadores mais populares usados para navegar na web:

  1. Google Chrome

    O Google Chrome é de longe o navegador mais popular, tanto para usuários de computadores quanto de dispositivos móveis, abocanhando mais da metade do market share global em ambas a categorias. Entretanto, ele também possui o recorde de maior número de vulnerabilidades descobertas em 2016.

    Você sabia que o Google é proprietário de cinco das ferramentas de rastreamento mais comuns, ou que o código do Google é atualmente encontrado na maioria dos sites mais populares acessados pelos usuários?

    Pelo lado positivo, o Chrome é o navegador que atualiza sua segurança com mais rapidez: somente 15 dias entre cada atualização de segurança.

    No entanto, o aspecto mais preocupante do Google Chrome é a privacidade.

    A empresa é famosa por coletar e armazenar cada pedacinho de informação possível sobre seus usuários, principalmente através do seu navegador – e, então, usar essa informação para criar anúncios segmentados.

    Se você gosta de usar o Chrome e não quer trocar de navegador, uma VPN pode ajudar a protegê-lo.

    H. Acesse aqui e confira as melhores VPNs para o Chrome.

  2. Microsoft Internet Explorer

    O Microsoft IE está em segundo lugar em market share global de navegação no computador, mas fica em quinto colocado no uso pelo celular. Dos cinco navegadores principais, ele ficou em segundo lugar na descoberta de menos vulnerabilidades em 2016, e os números caíram significativamente em relação aos anos anteriores.

    Apesar disso, suas atualizações de segurança são liberadas a cada 30 dias – o dobro de tempo do Google Chrome, e as versões mais antigas (anteriores ao IE11) não recebem mais nenhuma atualização de segurança.

  3. Mozilla Firefox

    O Mozilla Firefox é o terceiro navegador desktop mais popular e vem logo à frente do Microsoft IE em termos de vulnerabilidades descobertas em 2016. No entanto, ele mal supera o Internet Explorer em relação às atualizações de segurança, pois leva 28 dias entre cada atualização.

    Um dos maiores problemas do Firefox é que ele não usa a tecnologia Sandbox, diferentemente de outros navegadores populares.

    Esse fator, combinado aos problemas frequentes de arquitetura, incluindo plugins do JavaScript, significa que este outrora popular navegador em breve será relegado às últimas opções.

    Se você ainda pretende continuar usando o Firefox, confira estes 20 add-ons para aprimorar sua segurança.

  4. Other popular browsers

    O Microsoft Edge e o Apple Safari ficaram em quarto e quinto lugares, respectivamente, em termos de popularidade e market share. Juntos, esses navegadores detêm menos de 10% do mercado desktop.

    No entanto, deve-se notar que o Apple Safari é o segundo navegador mobile mais popular, com quase 30% de market share.

    Embora não seja muito popular, o Apple Safari apresenta o menor número de vulnerabilidades descobertas em 2016.

    Apesar disso, ele leva 54 dias entre suas atualizações de segurança. Segundo a própria página de FAQ da Microsoft, não há um cronograma fixo para o lançamento de atualizações de recursos do Edge.

Estas alternativas de navegadores são mais seguras (e gratuitas):

Se a falta de privacidade do Google Chrome preocupa você, e se os longos intervalos entre as atualizações de segurança dos outros navegadores não o agradam, o que pode ser feito?

A resposta é abandonar a popularidade em prol da segurança e privacidade, através de um destes pouco conhecidos, mas dignos, concorrentes:

Tor

Este navegador está disponível para Windows, Mac e Linux. O Tor permite que você se comunique anonimamente e protege todos os seus dados pessoais, histórico de navegação e localização. Leia mais sobre o Tor aqui.

Comodo Dragon

Este navegador também está disponível para Windows, Mac e Linux. Ele é capaz de bloquear programas espiões na web, cookies e outras formas de rastreamento. O Comodo possui embutido o recurso de validação de domínio.

Essa função separa as certificações SSL fortes e fracas. O Comodo ainda conta com seu próprio antivírus, para que os usuários permaneçam protegidos contra malware, vírus e outras ameaças.

SRWare Iron

Diferentemente do Tor e do Comodo, o SRWare Iron pode ser usado no Android.

Ele não exige ID de usuário quando uma nova sessão de navegação é iniciada, além de remover sugestões, páginas de erro alternativas e relatórios de erros. Você também fica livre de rastreamento RLZ, do Google updater e de rastreamento de URL.

Epic Browser

Este navegador é específico para sistemas MAC. Ele não possui prefetching de DNS e desativa cookies de terceiros.

O Epic não salva seu histórico de navegação e não conta com caches de DNS ou web, nem com recurso de autopreenchimento. Além disso, ele exclui cookies, preferências e dados pepper do Silverlight e do Flash assim que você fecha o navegador.

Opera

O Opera é um ótimo navegador que inclui um ad-blocker e uma VPN embutidos. Embora não seja possível usá-lo para baixar torrents, você pode permanecer anônimo. Além disso, o Opera não rastreia sua localização ou histórico de buscas. Ele está disponível somente para Windows e Android, mas o Opera Mini funciona no iOS.

Cada um desses cinco navegadores menos conhecidos poderá melhorar significativamente sua segurança e privacidade online. Porém, se você precisa continuar com um dos principais navegadores populares, certifique-se de usar uma VPN em todas as suas atividades na internet, para interromper rastreamentos, coletas de dados e outras atividades que exijam privacidade.

Posição
Provedor
Nossa pontuação
Desconto
Visitar site
1
medal
9.9 /10
9.9 Nossa pontuação
Economize 49%!
2
9.2 /10
9.2 Nossa pontuação
Economize 83%!
3
9.7 /10
9.7 Nossa pontuação
Economize 83%!

Nota do Editor: nós valorizamos nosso relacionamento com nossos leitores e nos esforçamos para conquistar sua confiança através de transparência e integridade. Nós pertencemos ao mesmo grupo de propriedade de alguns dos produtos líderes do setor revisados ​​neste site: Intego, Cyberghost, ExpressVPN e Private Internet Access. No entanto, isso não afeta nosso processo de análise, uma vez que usamos uma metodologia de testes rigorosa.

Alerta de privacidade!

Seus dados estão sendo expostos aos sites que você visita!

Seu endereço IP:

Sua localização:

Seu provedor de Internet:

As informações acima podem ser usadas para rastreá-lo, direcionar anúncios para você e monitorar o que você faz online.

As VPNs podem ajudá-lo a ocultar essas informações dos sites para que você esteja protegido o tempo todo. Recomendamos a ExpressVPN — a VPN nº 1 entre mais de 350 provedores que testamos. Ela possui criptografia de nível militar e recursos de privacidade que vão garantir sua segurança digital, e mais — ela está oferecendo atualmente 49% de desconto.

Visite a ExpressVPN

Avaliamos os fornecedores com base em testes e pesquisas rigorosos, mas também levamos em consideração seu feedback e nosso programa de afiliados com os fornecedores. Alguns fornecedores são de propriedade da nossa matriz.
Saiba mais
O vpnMentor foi criado em 2014 para analisar os serviços de VPN e cobrir temas relacionados à privacidade. Hoje, nossa equipe de centenas de investigadores, redatores e editores de segurança cibernética continua ajudando os leitores a lutar por sua liberdade online em parceria com a Kape Technologies PLC, que também é proprietária dos seguintes produtos: ExpressVPN, CyberGhost, ZenMate, Private Internet Access e Intego, que podem vir a ser analisados neste site. As análises publicadas no vpnMentor são consideradas precisas na data de publicação de cada artigo e elaboradas conforme nossos rígidos padrões de análise que priorizam o exame profissional e honesto do especialista que faz a análise, levando em conta as capacidades técnicas e qualidades do produto juntamente com seu valor comercial para os usuários. As classificações e análises que publicamos também levam em conta a propriedade comum mencionada acima e as comissões de afiliados que ganhamos por compras através dos links em nosso site. Não analisamos todos os provedores de VPN e acreditamos que as informações sejam precisas na data de publicação de cada artigo.

Sobre o autor

Catherine é defensora da neutralidade da rede.

Gostou desse artigo? Avalie!
Eu detestei Eu não gostei Achei razoável Muito bom! Eu adorei!
de 10 - votado por usuários
Obrigado pelo seu feedback.

Por favor, comente sobre como melhorar este artigo. Seu feedback é importante!

Deixe um comentário

Desculpe, links não são permitidos neste campo!

O nome deve conter pelo menos três letras

O conteúdo do campo não deve exceder 80 letras

Desculpe, links não são permitidos neste campo!

Digite um endereço de e-mail válido

Obrigado por enviar um comentário, %%name%%!

Verificamos todos os comentários no prazo de 48 horas para garantir que sejam reais e não ofensivos. Sinta-se à vontade para compartilhar este artigo enquanto isso.